Fábrica desativada na Vila Leopoldina ganha novo papel em São Paulo

Lugares que perderam sua antiga funcionalidade recebem novo propósito como locação para eventos

A crise econômica parece não atingir a indústria criativa. Em 2017, segundo estudo da Firjan Senai, o Produto Interno Bruto (PIB) desse setor representou 2,61% da riqueza gerada no Brasil, totalizando 171,5 bilhões de reais.

No recorte regional, São Paulo ficou em primeiro lugar, com 3,9% de participação no PIB criativo, seguido por Rio de Janeiro (3,8%) e Distrito Federal (3,1%).

De olho nesses números, os sócios Maurício Soares, Andrea Galasso, Mario Sérgio de Albuquerque e Tatiana Aulicino perceberam que faltavam espaços com estruturas diferenciadas para realizar eventos de médio porte da indústria criativa.

Assim surgiu a ARCA, um espaço de exposições, filmagens, eventos, lançamentos e feiras localizado num galpão de 9 000 metros quadrados de uma fábrica desativada na Vila Leopoldina, em São Paulo.

A inspiração para a escolha do lugar é internacional: “Foi impossível não traçar o paralelo com o Gashouder, um antigo complexo industrial abandonado que virou o principal espaço de eventos do Westergas, em Amsterdã, na Holanda, e ajudou a dar início a um processo profundo de transformação do tecido urbano”, afirma o sócio Maurício Soares.

Responsabilidade social

Dar novos propósitos a espaços que antes estavam abandonados não só ajuda a fomentar esse mercado criativo como também a revitalizar a região. Por isso, atuar como facilitadora entre os clientes e as comunidades vizinhas à ARCA tem sido um dos objetivos da empresa.

“Mapeamos as principais necessidades e carências dessa população e buscamos formas de supri-las por meio da criação de oportunidades de capacitação, trabalho, cultura, entretenimento e lazer”, explica.

Entre as iniciativas, já foram realizados eventos gratuitos, clínicas de basquete e dança para crianças e adolescentes e capacitação para microempreendedores.

Sócios do empreendimento Andrea Galasso, Mario Sérgio de Albuquerque, Tatiana Aulicino e Maurício Soares

Sócios do empreendimento Andrea Galasso, Mario Sérgio de Albuquerque, Tatiana Aulicino e Maurício Soares (ARCA/Divulgação)