EUA não querem que Rússia seja isolada por ações na Ucrânia

Presidente russo Vladimir Putin acusou os países ocidentais de utilizar sanções para enfraquecer a Rússia

Basiléia – Washington não quer que a Rússia seja isolada por suas próprias ações, afirmou o secretário de Estado americano, John Kerry, durante uma reunião na Basileia (Suíça) da OSCE sobre a Ucrânia.

“Os Estados Unidos e os países que apoiam a soberania e os direitos da Ucrânia não buscam um confronto. Não queremos nem desejamos que a Rússia se isole por suas próprias ações”, declarou Kerry.

Pouco antes, o presidente russo Vladimir Putin pronunciou em Moscou seu discurso anual ante as duas câmaras do parlamento, e acusou os países ocidentais de utilizar sanções para enfraquecer a Rússia, apesar de enfatizar que avente de forma alguma romper relações com a Europa e os Estados Unidos.

A conferência anual da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE), que acontece até sexta-feira, deve abordar com prioridade o conflito na Ucrânia.

A reunião da OSCE acontece dois dias depois do anúncio de um cessar-fogo entre rebeldes e as autoridades de Kiev em dois pontos do conflito no leste da Ucrânia: na região rebelde de Lugansk (a partir de 5 de dezembro) e no aeroporto de Donetsk, cenário de intensos combates.

Mas na quarta-feira, Kiev acusou os rebeldes de violação da trégua no aeroporto.

Está prevista, além disso, uma reunião nesta quinta-feira entre Kerry e seu colega russo Serguei Lavrov.