Equipes de resgate libertam 20 mineiros na Nicarágua

Um dos mineiros resgatados, disse que ele e seus companheiros tentaram abrir caminho com pás e picaretas

Manágua — Equipes de resgate da Nicarágua conseguiram libertar 20 mineiros que haviam ficado presos após um deslizamento de terra no norte do país na quinta-feira. Cinco trabalhadores ainda estão desaparecidos. O deslizamento ocorreu na mina de ouro e prata de El Comal, operada pela mineradora Hemco na cidade de Bonanza, a cerca de 420 quilômetros de Manágua.

Antonio Diaz, um dos mineiros resgatados, disse que ele e seus companheiros tentaram abrir caminho com pás e picaretas. Mas, depois de 24 horas, começaram a sentir fome e alguns foram perdendo a esperança.

O prefeito de Bonanza, Alexander Alvarado, disse que 100 homens participaram dos trabalhos de resgate e que, mesmo assim, levaram cerca de duas horas para trazer o primeiro mineiro para a segurança.

Os mineiros resgatados foram examinados por paramédicos e levados para um hospital da cidade. O vice-ministro do Interior, Carlos Najar, disse que eles estavam um pouco desidratados, mas em bom estado de saúde. Rosario Murillo, primeira-dama e porta-voz do governo da Nicarágua, disse que todos os 20 mineiros tinham sido liberados do hospital no sábado à tarde.

A mina de ouro e prata é em uma concessão detida pela Hemco, controlada pela colombiana Minero. Os mineiros que tinham ficado presos são freelancers autorizados a trabalhar na área, sob a condição de que vendam para a empresa o ouro encontrado, disse o porta-voz da Hemco, Gregorio Downs.

Segundo Downs, a companhia tinha alertado sobre o risco de trabalhar na área de El Comal, depois de dois mineiros terem morrido no mês passado em um deslizamento de terra causado pela chuva no local. Fonte: Associated Press.