As ações que ajudaram a Bolsa a alcançar os 100 mil pontos

Desde às eleições presidenciais, com a vitória de Jair Bolsonaro, o Ibovespa acumula valorização de 15,65%

São Paulo – A sessão da última segunda-feira entrou para história no mercado financeiro brasileiro. O Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, alcançou a marca dos 100 mil pontos pela primeira vez. Analistas acreditam que o rali deve continuar e o índice pode alcançar os 125 mil pontos até o final do ano.

O otimismo que inundou o mercado nos últimos meses foi reflexo da possibilidade de mudança de governo e na perspectiva de que seja feito o ajuste fiscal, por meio da reforma da Previdência, reforma tributária entre outros.

Desde às eleições presidenciais, com a vitória de Jair Bolsonaro, o Ibovespa acumula valorização de 15,65%. Entre as ações que mais subiram no período estão justamente as que refletem o cenário doméstico.

Veja também

Álvaro Frasson, analista da Necton Corretora, explica que em um governo mais pró-mercado é esperado que haja um enxugamento da máquina pública e uma redução da atuação do governo nas empresas, por meio de privatizações. É o caso, por exemplo, da Eletrobras. As ações ordinárias da companhia já subiram mais de 60% desde outubro do ano passado.

Além disso, a mudança de governo impacta diretamente na governança corporativa das estatais, com a troca de comando e possíveis alterações nos planos de investimentos ou desinvestimentos. É o caso do Banco do Brasil. Todo este cenário fez com que o preço das ações saísse da casa dos 30 reais para 54 reais. O analista destaca que além da estatal, o setor bancário se beneficiou com a melhora da demanda local. “Com a melhora da economia, há um aumento da demanda por financiamento, os bancos ganham no volume e se beneficiam deste movimento.” 

A pedido do site EXAME a Economatica, provedora de informações financeiras, apontou as ações que mais valorizaram desde o segundo turno das eleições. Confira abaixo:

Empresa Ticker da ação Desempenho do dia 29 de outubro de 2018 a 15 de março de 2019
CSN CSNA3 75%
Eletrobras ELET3 65,46%
GOL GOLL4 62,07%
Sabesp SBSP3 54,59%
Eletrobras ELET6 53,98%
JBS JBSS3 52%
Natura NATU3 50,39%
Engie Brasil EGIE3 45,88%
B2W BTOW3 45,45%
MRV MRVE3 41,37%
Bradesco BBDC3 39,80%
Bradesco BBDC4 39,65%
Smiles SMLS3 38,11%
Cosan CSAN3 36,16%
B3 B3SE3 35,99%
Energias BR ENBR3 35,07%
Ultrapar UGPA3 33,69%
Estácio ESTAC3 33,29%
Banco do Brasil BBAS3 32,95%
Telefonica VIVT4 31,58%