Zico fica sem apoio e não concorrerá à presidência da Fifa

O ex-craque do Flamengo e da seleção brasileira não conseguiu o apoio necessário de cinco federações internacionais

Rio de Janeiro – Zico, ex-craque do Flamengo e da seleção brasileira, não conseguiu o apoio necessário de cinco federações internacionais e anunciou nesta segunda-feira que não será candidato à presidência da Fifa.

“Não foi possível conseguir as cinco cartas para ter a candidatura. Conversei com diversas pessoas e pelo menos umas seis quase que garantiram isso”, lamentou o ex-jogador em seu programa na Rádio Globo.

Sem o ‘Galinho de Quintino’, oito candidatos oficializaram as intenções de correr nas eleições para presidente da Fifa, no dia 26 de fevereiro de 2016: Michel Platini, presidente da Uefa; Gianni Infantino, secretário-geral da Uefa; o príncipe Ali Bin Al Hussein, da Jordânia; o francês Jerome Champagne; o ex-jogador David Nakhid, de Trinidad e Tobago; o sul-africano Tokyo Sexwade; o liberiano Musa Bility; e Salman Bin Ebrahim Al Khalifa, presidente da Confederação Asiática de Futebol (AFC).