Vinhos: é hora de prestar atenção na outra Cabernet

Conheça a cabernet franc, a parente mais leve, fresca, suculenta e versátil da sauvignon

Responda rápido: quando ouve falar em cabernet, você pensa automaticamente em cabernet sauvignon? Claro que sim. Essa é a uva vermelha mais cultivada do mundo, conhecida por grandes vinhos, ricos e cheios de energia, que empolgam e nos quais dá até para investir.

Mas eu estou aqui para convencer você a lembrar da cabernet franc, a parente mais leve, fresca, suculenta e versátil. (No fim das contas, a cabernet franc é na verdade uma das mães da cabernet sauvignon.) Antes relegada, a cabernet franc se transformou na nova escolha dos entendidos em vinhos, dos sommeliers e daqueles que gostam de estar por dentro da uva do momento.

Em parte, isso se deve à moda atual de todas as coisas do Vale do Loire, onde a cabernet franc é a uva de vinhos rotulados como Chinon, Bourgueuil, Saumur Champigny e Anjou Rouge.

Em Bordeaux, na França, e na Califórnia, a cab franc era basicamente relegada à condição de uva para blends, que acrescenta acidez, vivacidade, saturejas (ervas aromáticas) e aromas florais exuberantes a blends de merlot e cabernet sauvignon com fundo gordo.

Mas o estilo 100 por cento cab franc do Vale do Loire, na França, está inspirando mais produtores de vinho em todo o mundo, da Argentina à Itália, a criar suas próprias versões vivas. O Canadá a usa até mesmo para ice wine.

Em 2018, o volume de remessas diretas de cabernet franc nos EUA subiu 19 por cento, segundo o recém-lançado Direct to Consumer Wine Shipping Report. A tendência de crescimento, afirma, começou em 2014.

A Califórnia, naturalmente, está por trás de uma nova onda de vinhos cabernet franc. No último fim de semana, no leilão anual de barris Premiere de Napa, no qual os vinhos cabernet sauvignon são sempre as estrelas, foram leiloados oito lotes especiais de cabernet franc, começando com o lote número 1, “Gravity’s Rainbow”, feito pelo mago dos vinhos Aaron Pott, que promove essa uva há muito tempo.

Qual é o atrativo da cabernet franc? Rob Sinskey, proprietário da Robert Sinskey Vineyards, de Napa, gosta de dizer que se vinhos fossem carros, os cabernet franc seriam um Citroën DS do começo da década de 1960 (ainda um colecionável que ficou em terceiro na pesquisa Car of the Century de 1999).

A cab franc, diz, é mal entendida e peculiar, mas suave e elegante. Seus vinhos de corpo médio são diferentes dos cabernet sauvignon: carregados de charme e finesse, com sabor de frutas luminosas e ligeiras que lembram framboesas, com aromas de violetas e hortelã, com menos tanino e com uma textura sedosa que lembra a pinot noir. Apesar de alguns dos principais exemplares serem vendidos por mais de US$ 100, a maioria tem preços modestos. Os exemplares de fora do Vale do Loire são mais frutados e ensolarados, muitas vezes com bordas mais suaves.

O futuro definitivamente trará mais cab franc. Como amadurece uma ou duas semanas antes da cabernet sauvignon, a uva é ideal para climas frios como o de Finger Lakes, em Nova York, e de outros lugares dos EUA, como Virginia e Michigan. A área cultivada está crescendo na Argentina e a uva é plantada na Hungria e no Cazaquistão. Ao mesmo tempo, o aquecimento global tem ajudado a cabernet franc no Vale do Loire, que é muito frio, a desenvolver um sabor mais frutado e sensual.

E então, o que você está esperando?