Veneza revive maio de 68 em Paris

"Foi uma experiência revolucionária única no século XX", disse o diretor, que compete pelo Leão de Ouro

Veneza – O entusiasmo político após as revoltas de maio de 68, com suas emoções, debates, confusões e noites passadas no mimeógrafo para copiar palavras de ordem e instruções, foram revividos nesta segunda-feira com o filme francês “Après mai”, de Olivier Assayas.

“Foi uma experiência revolucionária única no século XX”, disse o diretor, que compete pelo Leão de Ouro, ao reviver essa época marcada pelos protestos estudantis, pelas greves de trabalhadores e pelo movimento hippie.

Narrando a mudança profunda que a juventude da época viveu por meio da história de um grupo de estudantes, o filme retrata os dilemas dessa nova geração depois da onda de liberdade em vários os âmbitos, principalmente social, sexual e mental.

“Hoje em dia, perdemos a fé em transformar o futuro”, afirma o diretor francês, de 56 anos.

“Me parece genial ver o que viveram meus pais”, afirma Teo, um dos muitos jovens que assistem ao Festival, graças a uma promoção especial para menores de 26 anos.

O espanhol Davi Victori, de 29 anos, escolhido pelo curta The guilt, foi o vencedor do Your Film Festival, um concurso on-line organizado pelo YouTube para descobrir novos talentos.

Victori recebeu nada menos que 500.000 dólares para a produção de novos vídeos para o YouTube com o apoio de dois produtores executivos únicos: Ridley Scott, ausente pela morte de seu irmão, e o ator Michael Fassbender, premiado no ano passado em Veneza por sua atuação em “Shame”, que entregou o prêmio.

O ex-agente secreto mais popular do cinema, James Bond, o ator Pierce Brosnan, conquistou Veneza com sua simpatia ao apresentar a comédia da dinamarquesa Susanne Bier, “All You Need Is Love”, fora de competição.

O galã irlandês, com alguns quilos e rugas a mais, contou que foi fácil para ele entrar no personagem: “Perdi a minha esposa por causa de um câncer, como o protagonista do filme. A história tocou meu coração”, confessou.