Torcedores espanhóis evitam até a imprensa

Espanhóis deixaram o Estádio do Maracanã com um sentimento misto de revolta e vergonha após a derrota para o Chile

Rio de Janeiro – A derrota sofrida pela Espanha para o Chile deixou os torcedores espanhóis até sem palavras depois da partida. Vindos de uma goleada de 5 a 1 para a Holanda, os fãs da equipe espanhola sonhavam em se recuperar para passar de fase e chegar ao bicampeonato.

Mas, depois dos 2 a 0 para os chilenos, os espanhóis deixaram o Estádio do Maracanã com um sentimento misto de revolta e vergonha. Difícil era parar para falar com os jornalistas. A maioria dizia que estava com pressa para pegar o metrô, e seguia adiante rapidamente, sem dar entrevista.

Os poucos que aceitaram falar, tentavam entender o que havia acontecido com o time dirigido por Vicente del Bosque.

“Acreditamos que a questão da idade influenciou muito. No Mundial passado (2010) havia muitos jovens. Agora não os convocaram, para colocar outros jogadores de nome, que não deram de si. A Espanha vai jogar a terceira partida e vai ganhar, por dignidade. Mas o Mundial se acabou para nós”, lamentou Cristian Alonso, que veio ao Brasil com a esposa e o filho adolescente.

“A Furia não estava com raiva. Não teve sangue para jogar. Se acomodou. Tomou um gol e parou. A culpa foi do treinador. A expectativa era ter chegado pelo menos às quartas de final. Um campeão do mundo sair na primeira fase foi muito triste”, disse Felipe Gonzalo, que é natural da Espanha mas mora no Rio.

Já entre os chilenos, o sentimento era oposto. Saíram do Maracanã exultantes, cantando e balançando suas bandeiras. “Temos uma equipe tremenda. Viemos de baixo e agora estamos vivendo este momento maravilhoso. Se o Chile jogar com o Brasil, vamos ganhar”, apostou Luiz Cordez, que veio em uma caravana de ônibus, viajando quatro dias.

“Estamos felizes por termos eliminado o campeão do mundo. Mas esta Copa é difícil. Porém, o Chile pode ser a surpresa da competição”, disse, mais cauteloso, Jose Sunia. Na próxima fase o Chile jogará com Brasil, México ou Croácia.