Top 10: carros que fizeram dieta para emagrecer

Veja os truques que as montadoras usam para criar carros mais leves

MCLAREN F1

MCLAREN F1

 (/Divulgação)

Não é à toa que foi o carro de rua mais rápido de sua época (386,7 km/h). Assim como o V12 de 636 cv, seu peso de 1.138 kg foi fundamental. Por isso, tinha carroceria e chassi de fibra de carbono, motor de alumínio, magnésio na suspensão e até a borracha do pneu era mais leve.

RANGE ROVER VOGUE

RANGE ROVER VOGUE

 (Land Rover/Divulgação)

O Range Rover sempre foi pesado, seja pela robustez para o off-road ou pelo excesso de equipamentos. Até que, em 2013, tornou-se o primeiro SUV com carroceria 100% em alumínio. Resultado: ele emagreceu 420 kg!

CHEVETTE JÚNIOR

CHEVETTE JÚNIOR CHEVETTE JÚNIOR

CHEVETTE JÚNIOR (/Divulgação)

Lançado em 1992, seu motor rendia míseros 50 cv. Não bastasse, parte disso se perdia para mover o pesado eixo cardã da tração traseira. Para compensar, a GM aliviou o peso, até com vidros mais finos. Só durou um ano.

RENAULT MÉGANE R26R

RENAULT MÉGANE R26R RENAULT MÉGANE R26R

RENAULT MÉGANE R26R (/Divulgação)

Com o objetivo de obter o melhor desempenho do motor de 230 cv desta versão especial, a Renault foi a montadora pioneira a utilizar policarbonato, que é mais resistente e 50% mais leve que o vidro.

CHEVROLET CORVETTE

CHEVROLET CORVETTE CHEVROLET CORVETTE

CHEVROLET CORVETTE (/Divulgação)

Ele fez história já na origem, em 1953: foi o primeiro carro com carroceria de plástico reforçado com fibra de vidro. Isso não só reduzia o peso como viabilizava a produção tão limitada na época (cerca de 300 ao ano).

PORSCHE 550 SPYDER

PORSCHE 550 SPYDER PORSCHE 550 SPYDER

PORSCHE 550 SPYDER (/Divulgação)

Lançado em 1952 no Salão de Paris, ele era dotado de carroceria de alumínio que revestia um chassi tubular e motor central boxer a ar de 1,5 litro e 110 cv. Tudo isso em apenas 550 kg – daí a origem de seu nome.

FERRARI F40

FERRARI F40 FERRARI F40

FERRARI F40 (/Divulgação)

Último modelo feito sob a supervisão de Enzo (morto em 1988), não trazia som, maçanetas internas ou porta-luvas, resultando em 1.100 kg. Com um V8 2.9 biturbo, atingiu 324 km/h e virou o recordista de velocidade da época.

BENTLEY CONTIN. SUPERSPORTS

BENTLEY CONTIN. SUPERSPORTS BENTLEY CONTIN. SUPERSPORTS

BENTLEY CONTIN. SUPERSPORTS (/Divulgação)

O Supersports era um Continental GT mais rápido: ganhou 20 cv e perdeu 110 kg – tiraram bancos traseiros, colocaram peças mais leves. Ainda assim, tinha 2.333 kg, bem mais que uma S10 cabine dupla.

BMW M3

BMW M3 BMW M3

BMW M3 (/Divulgação)

O atual M3 emagreceu 80 kg graças à dieta baseada em materiais leves: alumínio (suspensão e capô), magnésio (cárter) e fibra de carbono (cardã e teto), o que baixou o centro de gravidade e o peso para 1.520 kg.

911 GT2 RS

911 GT2 RS 911 GT2 RS

911 GT2 RS (/Divulgação)

Com 70 kg a menos que o GT2, ele perdeu rádio, ar-condicionado, maçanetas internas, banco traseiro e usou policarbonato no lugar dos vidros e carbono em bancos, spoilers, espelhos. E no capô, o emblema era pintado.

Essa matéria foi originalmente publicada no portal Quatro Rodas.