Temos que manter a concentração, diz Robben sobre Costa Rica

O atacante Arjen Robben afirmou que a Costa Rica é uma equipe forte, e que a seleção da Holanda deverá manter a concentração

Fortaleza – Após uma vitória heroica por 2 a 1 sobre o México pelas oitavas de final da Copa do Mundo, a Holanda enfrentará a Costa Rica, que surpreendeu todos ao se classificar na primeira posição do “grupo da morte”, o que despertou a atenção do atacante Arjen Robben, destaque holandês no torneio.

“A Costa Rica é uma equipe muito forte, temos que manter a concentração. Eles têm um bom time, como mostraram na fase de grupos, que era muito difícil, contra Itália, Inglaterra e Uruguai. Foi realmente impressionante e teremos que nos preparar muito bem se quisermos ganhar”, ressaltou o jogador.

A partida é a única coisa que separa a seleção europeia das semifinais. Para Robben, o maior combustível é reparar a derrota sofrida para a Espanha na decisão da última edição do torneio e conquistar o título pela primeira vez para o país.

“Estamos todos juntos nisso, e quando se chega a uma Copa do Mundo não é para desfrutar do clima e da praia no Rio de Janeiro. Estamos aqui para ganhar partidas e chegar o mais longe possível. Acho que as expectativas não eram muito altas antes do torneio. Podemos estar muito orgulhosos de onde estamos”, acrescentou.

Apesar do bom poderio ofensivo da equipe, que estreou fulminante no torneio com uma goleada de 5 a 1 sobre os atuais campeões, o atacante analisou o novo esquema tático utilizado pelo técnico Louis Van Gaal. Agora, a equipe passa menos tempo com a bola, mas mostra eficiência pelos resultados obtidos.

“Estamos acostumados a jogar no 4-3-3, um esquema ofensivo com dois pontas. Mas acho que também é preciso olhar a qualidade do elenco. Falamos muito sobre isso com o treinador e decidimos jogar em um sistema diferente, acho que é circunstancial. Não é tão dominante como estamos acostumados a jogar, mas continua sendo muito bom, jogamos quatro partidas e marcamos 12 gols”, explicou.

Para o jogador, a interação do técnico com os jogadores tem sido impecável. Um exemplo disso ocorreu na última partida, quando o time conseguiu a virada após as substituições ofensivas de Val Gaal, que colocou o atacante Depay no lugar do lateral direito Verhaegh e trocou Van Persie por Huntelaar.

“A equipe mudou em todos os sentidos. Jogamos com três atacantes no final e pressionamos, os mexicanos até substituíram um atacante (Giovani dos Santos). Com isso, eles nos deram a iniciativa e criamos muitas oportunidades. Van Gaal acertou. Ele sabe que tipo de jogadores tem e como mudar as coisas.”, disse.

Sobre o pênalti que decidiu o resultado final da partida, Arjen Robben revelou que gostaria de ter feito a cobrança, mas concordou com as ordens recebidas por Huntelaar para bater.

“Foi uma decisão muito sábia. Ele veio do banco, estava fresco e é um goleador. Eu tinha confiança nele, assim como também teria se tivesse cobrado”, assumiu.

O atacante também afirmou que o sentimento após virar o jogo sobre os mexicanos e conquistar a classificação nos últimos momentos do jogo foi inexplicável.

“Após a partida era difícil assimilar o que tínhamos acabado de conseguir com poucos minutos para jogar, estávamos eliminados do torneio. No final, em cinco minutos, com dois gols, viramos e vencemos sem a necessidade de prorrogação. Foi fantástico”, lembrou.

Por uma vaga nas semifinais, Holanda e Costa Rica se enfrentarão no sábado, às 17h, na Arena Fonte Nova, em Salvador, pelas quartas de final da Copa do Mundo.