“Televisa” rompe com diretor mexicano acusado de estupro

A atriz Karla Souza disse ter sido assediada e violentada sexualmente no início da carreira; uma investigação apontou Gustavo Loza como o responsável

Cidade do México – A “Televisa” anunciou na terça-feira o rompimento “imediato” da sua relação de trabalho com o produtor e diretor mexicano Gustavo Loza, diante da denúncias públicas feitas pela atriz Karla Souza.

Protagonista do filme “Uma Ressaca de 9 Meses”, do próprio Loza, e integrante do elenco da série “Lições de um Crime”, Karla revelou nesta terça, em entrevista para a “CNN”, ter sido assediada e violentada sexualmente no início da carreira por um diretor que não foi identificado.

Através de um comunicado, a “Televisa” afirmou que diante das denúncias públicas da atriz “e depois de uma investigação preliminar” decidiu “romper de maneira imediata toda relação trabalhista com o senhor Gustavo Loza”.

Da mesma forma, a empresa afirmou que estava cancelado por “qualquer projeto em andamento que tenha a participação do senhor Loza, que não é empregado do grupo, mas sim colaborou em projetos da empresa”.

Karla Souza denunciou que tudo aconteceu no início de sua carreira durante uma filmagem onde ficou hospedada no mesmo hotel que o diretor, que toda noite ia em seu quarto com a desculpa de falar sobre as cenas da filmagem.

Ela afirmou que o diretor começou a fazer abordagens e que depois de um mês de “abuso total de poder”, acabou por deixar “ser beijada e tocada de forma que eu não queria que me tocasse”.

“Acabei cedendo e deixando que de certa maneira me beijasse, que me tocasse de formas que eu não queria que me tocasse, e em um dessas ocasiões, me agrediu violentamente e, sim, me estuprou”, revelou Karla Souza.