Suporte as altas temperaturas com esportes radicais

Para curtir o verão com estilo, separamos oito maneiras de se refrescar com adrenalina

Por Luiza Gil

O paulista Gabriel Medina, primeiro brasileiro campeão mundial de surfe, nos encheu de orgulho. Mas também de inveja. Quem não sonha em viver uma vida como a dele, viajando para lugares paradisíacos e praticando um esporte bacana, que faz bem à saúde e ao físico? Melhor ainda: a prática esportiva na água junta a refrescância necessária para esses dias de calor quase insuportáveis que vivemos à inevitável presença de mulheres bonitas.

É hora, portanto, de levantar da cadeira de praia e exorcizar toda a cerveja e a bolinha de amendoim. Selecionamos diversas modalidades esportivas que estão com tudo neste verão e os mais variados locais para praticá-las. Com este guia, você vai poder mergulhar de cabeça nos esportes aquáticos. E ter um gostinho de como é ser Medina por um tempo.

SURF

Graças a Gabriel Medina, o esporte virou o queridinho do verão. Se você não tem intimidade alguma com uma prancha, não dispense algumas aulas (há bons professores em várias praias Brasil afora) – embora Medina faça parecer, não é nada fácil surfar. A boa notícia é que está cheio de mulher bonita do lado de lá da arrebentação. Aproveite o verão 2015 para encarar novas ondas.

3 (Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images) (Divulgação / BMW/)

>>> Nicarágua
Onde ficar
Miramar Surf Camp: você pode pegar ondas ou almoçar olhando para o mar e depois tirar um cochilo nas cadeiras de balanço. O bom da Nicarágua é que tem ondas para qualquer tipo de surfista, do novato ao expert.

Custo
A partir de US$ 883* por pessoa em quarto duplo, cinco noites. Mais informações neste link.

>>> Fernando De Noronha
Onde ficar
Pousada Zé Maria: tradicionalíssima e próxima à Praia Vila dos Remédios, oferece ótima infraestrutura. Atenção: as ondas de Noronha não são para iniciantes!

Custo
Você e sua gata podem viver essa experiência por cerca de R$ 4 500 cada um, durante quatro dias. Mais informações neste link.

>>> Marrocos
Onde ficar
Hotel Taghazout: o Marrocos tem mais de 300 dias de sol por ano e uma região com ótimas ondas (inclusive para iniciantes) é Agadir, uma vila de pescadores que fica a poucos metros do hotel.

Custo
A partir de US$ 1 890 por pessoa em quarto duplo, por sete dias. Mais informações neste link.

Bodysurf

É o nome chique do velho e bom “pegar jacaré”. No bodysurf, não há prancha. A premissa é não usar equipamento – apenas a nadadeira, utilizada nos dois pés para direcionar e estabilizar o corpo. A pessoa entra em contato direto com a água, por isso também é chamado de surfe de peito. É preciso ter uma boa natação e condicionamento físico. Uma variação do esporte é o handsurf: uma miniprancha, do tamanho da mão, é o único acessório. E aí, tem peito suficiente?

2 (Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images) (Divulgação/Lifan/)

>>> Fortaleza (CE)
Onde ficar
Pousada Farol do Forte: ela fica localizada a menos de 4 quilômetros da Praia de Titanzinho, uma das mais propícias para a prática do esporte.

Custo
A partir de R$ 980, pacote para sete noites. Mais informações neste link.

>>> Costa Rica
Onde ficar
Shaka Surf Camp: localizado ao norte de Santa Teresa, praia ideal para amantes de surfe, bodyboard e, claro, bodysurf. O lindo país tem ainda muitas outras praias com ondas perfeitas para os esportes aquáticos.

Custo
US$ 1 930 por pessoa, durante quatro noites. Mais informações neste link.

Kitesurf

Pegue esportes como windsurfe, esqui, wakeboard, surfe e voo livre e coloque em um liquidificador. O kite é mais ou menos o que resultar dessa mistura.
A prática consiste em deslizar sobre a água em cima de uma prancha, que é puxada pelo kite, uma espécie de pipa gigante impulsionada pelo vento. Além de fazer manobras na água, dá para pegar ondas com ele.

5 (Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images) (Thinkstock/)

>>> Praia Da Pipa (RN)
Onde ficar
Hotel CasaBlanca Resort: são 14 chalés localizados no alto das falésias. Sua garota pode ficar assistindo sua performance lá de cima.

Custo
A partir de R$ 2 790, em quarto duplo por oito dias.Mais informações neste link.

>>>Ilha De Madagascar
Onde ficar
Babaomby Island Lodge Hotel: localizado na península de Babaomby, oferece uma experiência paradisíaca com locais ideais para todos os níveis de kitesurf e também windsurfe – isso em águas azul-turquesa!

Custo
Uma viagem para a ilha sai a partir de US$ 3 190 por pessoa, com três refeições diárias. Mais informações neste link.

Wakesurf

Esporte novo, de apenas dez anos, deriva do wakeboard. Enquanto neste último o praticante, sobre uma prancha, é puxado por um barco e faz manobras, no wakesurf você surfa mesmo na onda produzida pela lancha, sem o auxílio de cordas para puxá-lo (ela só é necessária no começo, para você entrar na onda). É, portanto, preciso saber surfar para praticar o esporte. Pode-se curtir não só em praias, mas também em lagoas e represas.

6 (Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images) (/)

>>> Porto Alegre (RS)
Onde ficar
Holiday Inn: a capital gaúcha tem várias opções de locais para a prática de wakesurf, como o famoso Rio Guaíba e a Ilha das Flores (esta, localizada a apenas meia hora do hotel). Para aulas e consultorias, acesse wakesul.com.br.

Custo
A partir de R$ 650, por quatro noites em apartamento duplo. Mais informações neste link.

Flyboard

É uma engenhoca que conecta, por meio de um tudo, uma prancha à turbina do jet ski. A pressão e a aceleração do jato de água são monitoradas pelo praticante por controles remotos. Você pode atingir até 10 metros de altura, com liberdade para muitas (e insanas) manobras. Para a prática é preciso que o local do mar ou do lago tenha profundidade mínima de 1,5 metro. É possível comprar o kit completo, que custa cerca de 30 mil reais, ou alugar o equipamento por aproximadamente 3 mil reais por dia.

8 (Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images) (/)

>>> Florianópolis (SC)
Onde ficar
Pousada Refúgio da Lagoa: como hóspede, além do flyboard pode-se praticar wind ou kitesurf.

Custo
A partir de R$ 1 050, em uma suíte com ar condicionado por seis dias. Mais informações neste link.

>>>Espanha
Onde ficar
Hesperia Murcia: Mazarrón tem vários quilômetros de praias. Para fazer flyboard lá contate a Noranautic Flyboard, em yumping.com.

Custo
A partir de R$ 11 mil, por sete dias. Mais informações neste link.

Jetsurf

É a união do surfe com jet ski – a prancha é motorizada! Ela pesa 15 quilos, mede 1,80 m e pode chegar a 60 km/h – por isso, curvas e manobras ficam mais radicais. E o acelerador é monitorado por controle remoto, moleza! Você pode só ficar passeando ou se arriscar em curvas e giros. O serviço de locação ainda não está disponível no Brasil, de acordo com a sede brasileira da representante do equipamento, a JetsurfBrasil. Para entrar na brincadeira é preciso comprar a prancha, que custa a partir de 40 mil reais, em jetsurfforfun.com.

4 (Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images) (Divulgação/Assessoria de imprensa da BMW/)

>>> Represa Guarapiranga(SP)
Onde ficar
Blue Tree Premium Verbo Divino: localizado no bairro de Santo Amaro, bem próximo da represa. Lá é possível fazer outros esportes, como stand-up paddle.

Custo
R$ 160 a diária do quarto de casal, com café da manhã incluído. Mais informações neste link.

>>> México
Onde ficar
Grand Oasis Cancun: leve sua prancha para este hotel que fica em frente às praias de águas claríssimas de Cancún. Se você não tiver um jet surf, há uma filial da empresa no México, que pode ser contatada para mais informações em jetsurfmexico.com.

Custo
A partir de US$ 3 071 em quarto duplo, por sete noites durante o Carnaval. Mais informações neste link.

Waterline

Nada mais é do que a prática do slackline (andar e fazer manobras em cima de uma fita elástica, presa em dois pontos) sobre a água de piscinas,  mar, rios ou represas.  O melhor de tudo é que, como o elástico em que você vai se equilibrar fica em cima da água, o impacto do tombo é bem menor – e muito mais refrescante.

7 (Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images) (Divulgação/)

>>> Balneário Camboriú (SC)
Onde ficar
Hotel D’Sintra: a localização é ótima, bem em frente ao mar. O waterline pode ser praticado em qualquer lugar, mas é melhor se você estiver numa bela praia com belíssimas mulheres ao lado, não?

Custo
A partir de R$ 2 097 por pessoa em quarto duplo, por oito dias. Mais informações neste link.

>>> Niterói (RJ)
Onde ficar
Mercure Niterói Orizzonte: localizado no bairro Gragoatá, está de frente para a Baia de Guanabara e próximo à ponte Rio-Niterói. Pedra da Baleia e a praia do Arpoador, do lado de lá da ponte, são destinos bacanas para treinar.

Custo
A partir de R$ 1 300 por pessoa, em apartamento duplo por uma semana. Mais informações neste link.

Canoagem havaiana

Vinda da Polinésia, é praticada em equipe de seis pessoas e requer bom condicionamento físico e sincronia. Com remadas compassadas e técnica, sua canoa vira Ferrari (ou não). A canoagem havaiana já é praticada competitivamente e como atividade de turismo em vários países, como Austrália, Costa Rica, Indonésia, Canadá e – por razões óbvias – no Havaí. O Brasil não fica para trás. O litoral paulista tem a prática disponível em Santos e no Rio, na Barra da Tijuca.

1 (Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images) (Divulgação/)

>>> Brasília
Onde ficar
Manhattan Plaza Hotel: o hotel quatro-estrelas fica a apenas 18 minutos do Lago Paranoá, local onde é possível praticar diversos esportes na água na capital federal. Para alugar canoas e fazer aulas, contate oficinamultisport.com.br ou lifenautica.com.br.

Custo
A partir de R$ 2 860, por sete dias. Mais informações neste link.

>>> Havaí
Onde ficar
Sheraton Waikiki: a melhor opção para se hospedar na ilha de Oahu é Waikiki, que tem vários restaurantes e bares. É possível praticar canoagem em toda a ilha.

Custo
A partir de R$ 5 400 por pessoa, por uma semana. Mais informações neste link.