8 shows do intervalo do Super Bowl que valem a pena rever

Os shows que ocorrem nos intervalos das finais do campeonato da NFL às vezes ganham ares de protagonistas da noite

São Paulo – No último domingo (22), o cantor Justin Timberlake foi confirmado como atração principal para o show do intervalo do Super Bowl, em fevereiro de 2018, pela Pepsi, patrocinadora do evento.

Por ser a final do campeonato da NFL (National Football League), o Super Bowl é um dos maiores eventos esportivos do ano. É o segundo de maior audiência, só perdendo para a final da Liga dos Campeões UEFA.

Além de levar fãs apaixonados pelo futebol americano para os estádios, o show que ocorre no intervalo da partida às vezes ganha ares de protagonista da noite. Com performances espetaculares e épicas, o “Halftime Show” faz o público vibrar desde a década de 1960.

EXAME.com selecionou algumas apresentações que se destacaram ao longo da história do Super Bowl:

Michael Jackson (1993)

O rei do pop fez um dos mais aclamados Halftime Shows da história da NFL em 1993. Michael cantou “Jam”, “Billie Jean“, “Black or White” e “Heal the World” no estádio Rose Bowl em Pasadena, na California, em uma apresentação transmitida para mais de 120 países, no intervalo da final entre o Dallas Cowboys e o Buffalo Biils. 

O show acabou com um coro de 120 crianças cantando juntamente do cantor o hit “We Are The World”.

Muito mais do que levar seus fãs ao delírio, o cantor foi muito importante para mudar a forma de se fazer o Halftime Show. 

Depois de sua apresentação, que foi um tremendo sucesso, os organizadores do evento passaram a se preocupar mais em atrair nomes “famosos” para o show do intervalo.

Prince (2007)

Apesar da relevância da participação de Michael Jackson em 1993, a Billborad considera o show de Prince em 2007 como o mais épico da história do Super Bowl, que ocorreu no intervalo da partida entre o Indianopolis Colts e o Chicago Bears.

O cantor, que faleceu em abril de 2016, cantou hits como “Let’s Go Crazy”, “Baby I’m a Star”, Proud Mary, All Along the Watchtower, Best of You“, do Foo Figfhters, e “We Will Rock You”, clássico da banda inglesa Queen.

A apresentação terminou com a apresentação do clássico Purple Rain, uma das músicas mais aclamadas da carreira do cantor.

Lady Gaga (2017)

A cantora, que abriu a final da NFL em 2016 cantando o hino dos EUA, foi a grande estrela do Super Bowl de 2017, durante o intervalo da partida entre New England Patriots e o Atlanta Falcons.

Com um show que teve até queda livre, a cantora que atrai multidões protagonizou um espetáculo repleto de grandes efeitos no NRG Stadium, em Houston, no Texas.

Gaga cantou alguns de seus singles mais famosos, como Poker Face, Born This Way, Telephone, Just Dance, Million Reasons e Bad Romance. A apresentação foi tão elogiada que rendeu à cantora seis indicações ao Emmy.

Coldplay, Beyoncé e Bruno Mars (2016)

Em 2015, os cantores fizeram uma das performances mais aclamadas da história do Super Bowl, no  Levi’s Stadium (Santa Clara, California), no intervalo do jogo que deu a vitória aos Denver Broncos.

A maioria das músicas cantadas foram as do Coldplay (Yellow, Viva La Vida, Paradise, Adventure of a Lifetime, Clocks e Fix You), que era a atração principal do show do intervalo.

Ainda assim, a apresentação do então recém-lançado single Formation, de Beyoncé, e a de Uptown Funk (cantada por todos) foram os pontos altos da noite.

Madonna (2012)

19 anos após o rei do pop reinventar a forma de se fazer o show do intervalo, a rainha do pop foi a grande estrela do Halftime Show, em 2012, durante o jogo entre New York Giants e New England Patriots.

Cantando clássicos como “Vogue“, “Like a Prayer”, “Open Your Heart” e “Express Yourself“, Madonna dividiu o palco no Lucas Oil Stadium em Indianapolis, Indiana, com o  LMFAO, Cirque du Soleil, Nicki Minaj, M.I.A. e o Cee Lo Green.

Paul McCartney (2005)

Em 2005, o ex-beatle animou a plateia de mais de 80 mil pessoas no intervalo da partida do New England Patriots com o Philadelphia Eagles cantando seus clássicos “Drive My Car“, “Get Back“, “Live and Let Die”.

Como de costume, o músico se dividiu entre o piano e a guitarra, e o show terminou majestosamente com a aclamada “Hey Jude” no ALLTEL Stadium, em Jacksonville, na Flórida.

U2 (2002)

É impossível falar das grandes apresentações no Super Bowl e não mencionar o U2. Em 2001, no Louisiana Superdome, em New Orleans, Louisiana, a banda homenageou as vítimas do atentado 11 de setembro.

Bono Vox abriu o show com a “Beautiful Day” do álbum All That You Can’t Leave Behind, que foi seguida dos hits “MLK e “Where The Streets Have No Name”.

É considerado por alguns veículos – como a Rolling Stone – como o melhor show da história do evento esportivo, superando Michael Jackson e Prince.

Bruce Springsteen (2009)

A voz impetuosa de “Glory Days” embalou o show do intervalo de 2009, final entre Pittsburgh Steelers e Arizona Cardinals. Bruce Springsteen dividiu palco com a E Street Band, e não deixou de cantar “Tenth Avenue Freeze-Out”, “Born to Run” e “Working on a Dream”.

O show é lembrado até hoje não só pela performance do showman, mas também por uma deslizada desastrada no palco que o fez trombar em uma câmera. Já em 2009, o pequeno acidente rendeu diversos memes na internet.