Robson Conceição vence no boxe e fica a uma luta da medalha

Em caso de novo triunfo, Robson já terá uma medalha garantida, pois no boxe olímpico os dois derrotados nas semifinais levam o bronze

O brasileiro Robson Conceição venceu por nocaute técnico o pugilista Anvar Yunsov, do Tadjiquistão, nesta terça-feira, na categoria até 60 kg do boxe nos Jogos Olímpicos Rio-2016.

Com a vitória, o brasileiro avançou às quartas de final. Em caso de novo triunfo, Robson já terá uma medalha garantida, pois no boxe olímpico os dois derrotados nas semifinais levam o bronze.

O baiano de 27 anos, que está em sua terceira Olimpíada e foi vice-campeão mundial em 2013 e terceiro colocado no Mundial de 2015, enfrentará na próxima fase o uzbeque Hurshid Tojibaev, no dia 12 de agosto.

O combate desta terça-feira foi mais rápido do que se esperava. Com as arquibancadas do Pavilão 6 do Riocentro apenas parcialmente ocupadas, Robson entrou no ringue aos gritos de “Brasil” e com os torcedores batendo os pés nas estruturas de metal da arena.

Para Yunsov a torcida reservou o já tradicional “uh vai morrer” com que recebe os rivais dos brasileiros nos Jogos Olímpicos.

Robson procurou a luta desde o início, enquanto o tadjique tentava apenas ganhar tempo. Nos últimos segundos do primeiro round, o brasileiro conseguiu levar o rival para as cordas e aplicou uma série de golpes, para delírio da torcida.

O brasileiro venceu o round por 30 a 27, segundo os juízes. No momento em que o segundo assalto deveria começar, Yunsov informou que não continuaria na luta. O nocaute técnico foi anunciado, para grande felicidade do técnico.

De acordo com Mateus Alves, um dos técnicos da seleção brasileira de boxe, a equipe brasileira já havia percebido, com a ajuda da análise de vídeo, que na primeira luta nos Jogos Olímpicos, Yunsov utilizou apenas o braço esquerdo a partir do segundo round.

“Venho me preparando há muitos anos, treinando forte, sofrendo muito nos treinos, apanhando dos garotos lá na Bahia. Essa experiência, o sofrimento todo, trabalhando para ser recompensado com as vitórias”, disse Robson.

O brasileiro já enfrentou duas vezes o seu próximo rival, Tojibaev, com uma vitória para cada lado.

“A próxima luta vai ser muito difícil, estamos empatados. Ele ganhou na liga APP, que é uma liga profissional e eu ganhei na final do evento teste aqui no Rio de Janeiro. Agora vamos para o desempate, mas estou mais treinado do que nas últimas duas vezes”, comentou.

“É uma inspiração a mais seguir o exemplo da Rafaela, que ganhou a medalha, uma menina que é da favela, assim como eu, veio debaixo como eu, batalhou bastante. É uma inspiração a mais para conseguir a medalha que ela tem também, que é a medalha de ouro”, assinalou.

O boxe brasileiro chegou aos Jogos Rio-2016 cercado de grande expectativa, depois do grande resultado obtido em Londres-2012, com três medalhas: a prata de Esquiva Falcão (75 kg) e os bronzes de Yamaguchi Falcão (81 kg) e Adriana Araújo (60 kg).