Rihanna estreia grife Fenty da LVMH em Paris

Sua visão de marca de luxo mais inclusiva não se limita ao preço

Rihanna revelou sua primeira coleção Fenty em Paris na noite de quarta-feira. A cantora chegou vestindo um blazer-vestido — a peça branca tinha ombros exagerados e era apertada na cintura com um espartilho embutido — combinado com saltos de tiras de couro dourado: todo o visual com a marca de sua nova grife.

O tom que predominava era de mulher de negócios acima e de baladeira abaixo. Essa mistura oscilante se inspirou na moda masculina com um toque feminino. E é exatamente o que a estrela pop de 31 anos diz que quer trazer à cena como a primeira mulher a começar uma nova marca do zero na LVMH, a maior empresa da França em valor de mercado.

“Como eu me visto é como me sinto naquele momento”, disse Rihanna durante entrevista no showroom de Paris. “Quão confortável quero estar, quão poderosa quero ser, quão conservadora ou sexy. Sinto que as mulheres são multifacetadas dessa maneira, e a Fenty comemora isso.”

Na véspera de sua primeira entrega para a marca — os produtos serão lançados on-line em 29 de maio com um modelo “veja agora, compre agora” —, Rihanna recebeu a imprensa e amigos do novo projeto no elegante bairro de Marais, em Paris, onde hotéis do século 18 e igrejas medievais se intercalam com livrarias de design e galerias de arte contemporânea.

Depois de quase dois anos de trabalho nos bastidores, a oferta de estreia da Fenty era uma mistura de peças prontas para usar, como camisetas de brim desleixadas, sapatos de couro e bijuterias com punhos de cristal e enormes argolas de laca branca. Os óculos de sol Fenty, produzidos pela joint venture da LVMH com a fabricante de óculos italiana Marcolin, estavam empilhados em colunas no meio da sala. Alguns dos ternos tinham calças combinando, enquanto outros, como o modelo usado por Rihanna, devem ser usados ​​como vestidos.

Os preços variam de 200 euros (US$ 223) para uma camiseta até 1.100 euros para um anorak. Custam bem menos do que marcas da LVMH como a Louis Vuitton, onde os vestidos formais costumam ser vendidos acima de 2.500 euros. Rihanna diz que quer manter os preços acessíveis na medida do possível, embora usando materiais e técnicas de luxo.”Espero poder alcançar um público amplo”, disse. “Mal posso esperar para sair na rua e me deparar com alguém que esteja usando a marca. Acho que vai ser um grande momento para mim.”

Sua visão de marca de luxo mais inclusiva não se limita ao preço. A equipe da cantora projetou a coleção tendo o corpo de Rihanna em mente, em vez de uma modelo de passarela. “Sou uma garota curvilínea e, se as minhas coisas não me servem, não vai funcionar”, disse. “Tive que provar como cada peça se ajustava aos meus quadris, às minhas coxas, e me certificar de que não ficaria bem apenas em uma modelo magra.”