Restaurantes vegetarianos ganham espaço e atraem até carnívoros convictos

Tachados de bicho-grilo até há pouco, os restaurantes vegetarianos ganham representantes que satisfazem até quem está decidido a continuar carnívoro

No início da década, inaugurar um restaurante totalmente focado em vegetais equivalia a investir em ativos de alto risco. Hoje, quanto até redes como o Burger King começam a incluir opções veganas no cardápio, os riscos de um negócio do tipo naufragar parecem mínimos.

Tachados de bicho-grilo até há pouco – quando em geral eram sinônimo de receitas um tanto insossas -, os endereços vegetarianos, e até os que vetam qualquer alimento de origem animal, ganharam representantes que satisfazem até quem está decidido a continuar carnívoro. Mais: não ambicionam converter ninguém a mudar de dieta.

A filial paulistana do Teva é a mais recente da lista. Em funcionamento no Rio de Janeiro desde 2016, o restaurante inaugurou sua segunda unidade no bairro de Pinheiros há poucas semanas. Idealizado por Daniel Biron, o empreendimento é 100% focado em vegetais – servidos fritos, empanados ou defumados -, o que obriga a cozinha a trabalhar somente com alimentos frescos, orgânicos, sazonais, não industrializados e produzidos localmente.

Teva: Abobrinha grelhada ao pesto trapanese e farofa de tomate seco Teva: Abobrinha grelhada ao pesto trapanese e farofa de tomate seco

Teva: Abobrinha grelhada ao pesto trapanese e farofa de tomate seco (Teva/Divulgação)

Teva: Aspargos verdes frescos ao molho béarnaise Teva: Aspargos verdes frescos ao molho béarnaise

Teva: Aspargos verdes frescos ao molho béarnaise (Teva/Divulgação)

Um exemplo? Brócolis americano grelhado com molho e gergelim branco (R$ 28), que divide as preferências com as abobrinhas ao pesto, com farofa de tomate seco e azeitonas (R$ 28), e os aspargos ao molho béarnaise (R$ 32). O macarrão de arroz com tofu, moyashi, legumes, amendoim e molho de tamarindo sai por R$ 46.

Antes de bater o martelo no prato principal, prove o bolinho de baião de dois empanado, com recheio de tofu defumado, maionese e couve frita (R$ 30), ou o tartare de tomates frescos com avocado, tapenade de azeitonas pretas e torradinhas (R$ 32). Para harmonizar, drinques e vinhos veganos (sim, nem todos estão livres de alimentos de origem animal).

Inaugurado no ano passado na Vila Madalena, o Quincho faz as vezes de bar e restaurante. Decorado com samambaias e um jardim vertical, ganhou fama pelo bolovo, com ovo cozido com gema mole envolto em massa de palmito pupunha (R$ 12), e pelos hambúrgueres de cogumelos. O bb leva cheddar, cebola caramelizada e maionese de ervas no pão australiano (R$ 25). No balcão de tijolinhos vazados são preparados drinques como o alvorada, que junta Aperol, rum, folhas de menta, infusão de cítricos, ginger beer artesanal e suco de limão (R$ 28).

Em funcionamento no bairro carioca de Botafogo desde 2015, o Naturalie Bistrô recebe os veganos com pedidas como salpicão de grão de bico com cenoura, tofu defumado, maçã verde, banana passa, milho, creme de castanhas e palha de batata roxa (R$ 31,90). De sobremesa, pavê de beijinho de coco com doce de leite vegano e biscoito de coco.

Prato do Naturalie Bistrô Prato do Naturalie Bistrô

Prato do Naturalie Bistrô (Tomas Rangel/Divulgação)

Elaborado pela chef e sócia Nathalie Passos, que não abriu mão de comer carne, o cardápio do endereço é sazonal, e majoritariamente vegetariano (carnes, nem pensar). Tamanha foi a procura que em setembro do ano passado o Naturalie ganhou uma filial, em Ipanema.

Onde provar

Quincho – Rua Mourato Coelho, 1140, Vila Madalena, São Paulo, (11) 2597-6048.

Teva SP – Rua Cônego Eugênio Leite, 539, Pinheiros, São Paulo, (11) 3062-8257.

Teva RJ – Avenida Henrique Dumont, 110 loja B, Ipanema, Rio de Janeiro (21) 3253-1355.

Naturalie Bistrô – R. Visc. de Caravelas, 11, Botafogo, Rio de Janeiro, (21) 2537-7443, e R. Aníbal de Mendonça, 55 – Loja F, Ipanema, Rio de Janeiro, (21) 2512-1315.