Reino Unido proíbe 1,3 mil hooligans de irem à Rússia

O Ministério do Interior ordenou que os passaportes dos 'hooligans' fossem retidos para impedir suas viagens durante o período da Copa do Mundo

Londres – O Ministério do Interior do Reino Unido informou nesta quarta-feira que 1.312 torcedores, com histórico de violência em jogos de futebol, foram proibidos de embarcar para a Rússia, onde acompanhariam a Copa do Mundo.

Um departamento da pasta, dedicado especialmente a tratar da questão da segurança no futebol, ordenou que os passaportes dos ‘hooligans’ fossem retidos, para que fossem impedidos de viajar durante o período do torneio, que acontecerá entre 14 de junho e 15 de julho.

Dos 1.312 passaportes requisitados, 1.254 já foram verificados, mas o governo britânico ainda não recebeu o retorno dos 58 torcedores restantes.

A expectativa é de que, durante a competição, 10 mil britânicos viajem para a Rússia, e a Inglaterra prometeu intensificar a ação de seus agentes nos aeroportos durante a competição para evitar o deslocamento dos hooligans entre eles.

Tanto a Rússia quanto a Inglaterra estão se desdobrando para evitar um confronto entre torcedores durante a Copa do Mundo parecido com o que houve durante a Eurocopa da França, em 2016, quando ‘hooligans’ russos e britânicos entraram em confronto, deixando cinco ingleses em estado grave e outros 30 feridos.