Quatro marcas de luxo que criaram hotéis fora de série

Essas grifes levaram para a hospedagem o poderoso lifestyle de suas marcas

Fendi

Seu hotel-boutique fica no topo da flagship da marca em Roma, que ocupa um palácio do século XVII que pertenceu à renomada família Ludovisi Boncompagni. Inaugurado há três anos, foi projetado pelo arquiteto Marco Costanzi, colaborador frequente da grife. São apenas sete suítes, decoradas com mármore, peças da Fendi Casa e fotografias clicadas pelo último diretor de criação da marca, Karl Lagerfeld, morto neste ano. A grife cativas os hóspedes com tours privativos na flagship, um Ipad com indicações de passeios a pé por Roma e reservas prioritárias no restaurante Zuma, no rooftop do complexo. Diárias a partir de € 790. fendiprivatesuites.com

Hotel-boutique da Fendi Hotel-boutique da Fendi

Hotel-boutique da Fendi (Fendi/Divulgação)

Versace

A grife de Gianni Versace foi uma das primeiras a estender seu lifestyle para a hotelaria. Em setembro de 2000, recebeu os primeiros hóspedes em seu Palazzo Versace, situado na costa de Queensland, na Austrália. À beira-mar, o cinco-estrelas chama atenção pela suntuosidade da decoração, que inclui tetos com detalhes em ouro e um antigo lustre que já adornou a biblioteca estadual de Milão. Há 200 quartos e suítes com direito a banheiro com piso de mármore italiano, banheira de hidromassagem para casais e portas de vidro deslizantes para permitir a entrada da luz natural. Em 2016, a grife inaugurou seu segundo hotel, em Dubai. Diárias a partir de US$ 399. palazzoversace.com.au

Palazzo Versace em Dubai Palazzo Versace em Dubai

Palazzo Versace em Dubai (Versace/Divulgação)

Armani

“Eu queria algo muito importante, algo para ser lembrado”, disse Giorgio Armani ao apresentar seu primeiro hotel. Inaugurado em 2010, situa-se no Burj Khalifa, em Dubai, o prédio mais alto do mundo. São 160 apartamentos com vista de tirar o fôlego, vários restaurantes, um spa e uma piscina ao ar livre. No ano seguinte, a grife italiana abriu seu segundo hotel, dessa vez em Milão. Fica num palácio originalmente projetado pelo arquiteto italiano Enrico Griffini e concluído em 1937. Para facilitar a vida dos hóspedes, o hotel equipou os quartos com um iPad que permite acionar as luzes, o ar condicionado e a TV, reservar uma mesa no restaurante ou no bar da grife ou marcar um tratamento no spa. Diárias a partir de € 480. armanihotelmilano.com

Bulgari

Milão, Londres, Dubai, Bali, Pequim e Xangai. Nessas seis cidades é possível se hospedar num hotel da grife Bulgari. No ano que vem a marca promete inaugurar um hotel em Paris e há ainda um previsto para 2021, em Moscou, e outro para o ano seguinte, em Tóquio. O primeiro de todos, inaugurado em 2004, é o de Milão, que ocupa um palácio restaurado do século 18 rodeado por um jardim de 4 mil metros quadrados. Os hóspedes podem se entreter com visitas privativas a vilas e museus, viagens de hidroavião ao redor do Lago Como e excursões para os destinos mais exclusivos da Itália em avião particular, limusine ou iate. Outras mordomias: serviço de personal shopper, personal trainer, aluguel de carros de luxo e check-in no quarto. Diárias a partir de € 680. bulgarihotels.com

Hotel da Bulgari Hotel da Bulgari

Hotel da Bulgari (Bulgari/Divulgação)