Quando é preciso tirar visto para viajar ao exterior

Veja a lista de países que fazem essa exigência a brasileiros e os passos para tirar visto para ir aos EUA

São Paulo – Requisito número um na hora de planejar uma viagem é pesquisar quais as regras para a entrada de brasileiros no país. Para viajar legalmente para os Estados Unidos, por exemplo, ter um visto no passaporte brasileiro é impreterível. A pedido de Exame.com, a empresa especializada em documentação Celestino Assessoria elaborou uma lista de países que exigem visto de entrada para brasileiros.

É necessário alertar, no entanto, que, de acordo o Ministério das Relações Exteriores, as regras com relação à exigência ou não de visto de entrada, bem como as regras que fazem parte de todo o processo de emissão de permissão de viagem, mudam constantemente. Portanto, a recomendação do Ministério é que, antes de mais nada, o viajante entre em contato com a representação consular do país de destino a fim de se informar acerca das exigências do país.

Confira quais países exigem visto para brasileiros:

/seu-dinheiro/viagens/infograficos/paises-que-exigem-visto-para-brasileiros.swf


Visto para os EUA

Os EUA não são apenas um dos destinos mais procurados por brasileiros como também é um dos que exigem maior antecedência na preparação da viagem. Quem deseja viajar para lá deve prestar muita atenção nas regras impostas pelo país. Além de rígidos na hora de verificar a documentação de quem solicita a permissão, o processo de preenchimento dos formulários é permeado de detalhes que, caso repassados de maneira incorreta, podem prejudicar a aprovação e concessão do visto, condição imprescindível para brasileiros entrarem em território norte americano.

O primeiro passo para garantir o sucesso da obtenção do documento, segundo a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, é a antecedência com a qual o viajante dá entrada em todo o processo. Nesse caso, o órgão aconselha que a entrevista seja agendada com o máximo de antecedência. O agendamento é realizado via internet, (clique aqui para acessar a página).

Depois, o solicitante deve preencher o formulário DS-160 e realizar o upload de uma foto, nas dimensões 5×5 cm ou 5×7, tirada em fundo branco há no máximo seis meses. Assim que concluído o preenchimento, o solicitante também deve pagar uma taxa, no valor de 38 reais, pelo agendamento. O valor, segundo a Embaixada, também pode ser pago via internet, no site http://www.visto-eua.com.br ou com boleto bancário.

Quem deixar para a última hora ou precise da obtenção do documento em caráter emergencial não precisa perder as esperanças. Nestes casos, a pessoa deve apresentar o motivo da urgência, que será então avaliado pelo Consulado. De acordo com a Embaixada, para a opção de agendamento de emergência, é preciso primeiro completar a fase inicial de preenchimento e agendamento convencional, e só então é disponibilizada esta opção.


A entrevista

Uma vez que a pessoa tenha data para a entrevista na representação consular do país, deve então correr atrás de outros documentos necessários para a conclusão do processo. Além da página impressa que comprova o preenchimento correto do formulário, a pessoa deve levar consigo passaporte atual e fotografia, também recente e que se enquadre nos mesmos requisitos de tamanho e fundo branco da imagem anexada, eletronicamente, na internet.

O órgão sugere também levar outros documentos, considerados pelo órgão como de “apoio”, como declaração de Imposto de Renda, os três últimos holerites e os três últimos extratos bancários, retirados somente em terminais de auto atendimento, e qualquer outro documento que ateste a situação financeira de custeio da viagem e que reforcem os vínculos que o viajante tem com o Brasil, como carteira de trabalho, comprovantes de carros e etc. E para quem tem, em passaportes anteriores, visto para os EUA com menos de dez anos de emissão, pode levá-lo consigo no dia da entrevista.

Quem dá entrada na papelada para obter visto de entrada para o país tem que pagar, além da taxa de agendamento, uma taxa de solicitação de emissão, no valor de 140 dólares, a serem pagos em agências do Citibank, em real (de acordo com o câmbio do dia) e em espécie. A embaixada alerta, no entanto, para as diferentes taxas que podem ser cobradas, além das já descritas, e que variam de acordo com o tipo de visto solicitado. (Veja aqui as taxas relacionadas).