Príncipe Philip decide entregar carteira de motorista após acidente

O duque saiu ileso do acidente, mas uma das passageiras do Kia, Emma Fairweather, foi hospitalizada por uma lesão no punho

Londres – O príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II, entregou sua carteira de motorista à polícia, enquanto a Promotoria decide se será acusado pelo acidente de trânsito ocorrido em 17 de janeiro, no qual uma mulher ficou ferida.

“Após cuidadosa consideração, o duque de Edimburgo decidiu voluntariamente entregar sua permissão para dirigir”, o que fez no sábado, informou o Palácio de Buckingham, em Londres.

A polícia do condado de Norfolk (leste da Inglaterra), onde ocorreu o fato, confirmou que o príncipe, de 97 anos, entregou sua licença de condução ontem “de forma voluntária”.

A polícia indicou, além disso, que após investigar os fatos, o caso foi enviado à Promotoria, que decidirá se acusa o príncipe, considerado responsável pela colisão de sua Land Rover Freelander contra um Kia, no qual viajavam duas mulheres e um bebê, quando tomava a estrada principal A149.

O duque saiu ileso do acidente, mas uma das passageiras do Kia, Emma Fairweather, de 46 anos, foi hospitalizada por uma lesão no punho, e desde então pediu responsabilidades ao marido da soberana.

Em carta datada em 21 de janeiro, Philip desejou a Fairweather “uma pronta recuperação” e admitiu que não viu “seu carro” por conta da luz do sol, ao mesmo tempo que se mostrou “arrependido pelas consequências”.

No entanto, dois dias depois do fato, o príncipe foi visto conduzindo um Land Rover novo pela sítio de Sandringham sem o cinto de segurança, o que motivou uma advertência da polícia e críticas generalizadas.

Um porta-voz da promotoria disse que, ao revisar o caso, “será levada em conta” a decisão do marido da Rainha de entregar sua licença de condução.

O correspondente da Casa Real da emissora britânica “BBC”, Jonny Dymond, explicou que, segundo suas fontes, o duque reconheceu que o acidente “foi culpa sua”, por isso que “decidiu renunciar à parte de sua independência e a partir de agora terá um motorista”.

Em entrevista à imprensa, Fairweather tinha pedido que o duque fosse processado se ficasse provado que havia dirigido com imprudência.

A vítima declarou agora ao “The Sunday Mirror” que, “sem dúvida, as estradas serão agora mais seguras”.

“Seguramente, a decisão (de entregar a carteira) não foi fácil, pois perderá independência”, afirmou.