Pistorius já havia disparado arma, diz ex-namorada

Uma ex-namorada de Oscar Pistorius afirmou que o réu já havia disparado uma arma em sua presença

Pretória – Uma ex-namorada de Oscar Pistorius afirmou nesta sexta-feira, no quinto dia de julgamento do velocista paralímpico pelo assassinato de sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp, que o réu já havia disparado uma arma em sua presença após um incidente com a polícia.

Diante do Tribunal Superior de Pretória, Samantha Taylor esclareceu que o fato ocorreu entre 2011 e 2012, durante seu relacionamento com o acusado, e que ambos estavam em um automóvel (conversível) na companhia do amigo Darren Fresco.

Segundo a testemunha, um agente da polícia obrigou Pistorius a parar por excesso de velocidade, mas o atleta sul-africano resistiu e sacou sua pistola – que levava para todos os lados, segundo sua ex-namorada.

Na ocasião, o esportista teria se irritado com o agente ao ser questionado sobre sua arma.

“Não tem direito de tocar na minha pistola”, declarou o velocista paralímpico, segundo a versão de Samantha, que começou a chorar e interrompeu seu testemunho ao lembrar de como foi enganada por Pistorius em relação a Riva, supostamente o pivô de sua separação.

Após o incidente com o policial, o trio seguiu viagem, e Pistorius, muito zangado com o agente, brincou com Fresco sobre a possibilidade de disparar contra um semáforo, antes de abrir fogo pela abertura do teto do carro.

“(Darren e Oscar) começaram a rir”, lembrou Samantha, que tinha apenas 17 anos quando começou a sair com Pistorius. De acordo com a testemunha, posteriormente, nenhum dos dois fizeram qualquer tipo de comentário sobre o disparo.

Essas declarações possuem ligação com uma das três acusações relacionadas com posse de armas de fogo pelas quais Pistorius está sendo acusado, além da acusação pelo assassinato de Reeva.

Samantha, que agora tem 20 anos e não foi capaz de lembrar onde o incidente ocorreu em específico, retratou Pistorius como um homem desequilibrado e obsessivo com armas.


Antes de deixar o tribunal, a jovem ainda lembrou outro incidente em que Pistorius teria sacado sua pistola. Neste caso, ele apontou sua arma em direção a outro carro que supostamente o seguia.

Além disso, a testemunha contou que Pistorius a despertou em diversas ocasiões enquanto dormiam juntos por pensar que alguém tinha invadido sua casa.

Em uma dessas ocasiões, segundo a testemunha, Pistorius chegou a pegar sua arma para averiguar se havia alguém dentro da casa.

A testemunha também afirmou que seu Pistotius tinha um comportamento agressivo, ao gritar várias vezes com ela e com sua irmã durante a relação, e contou que ele – que tem as duas pernas amputadas – dormia sempre com a pistola na mesa de cabeceira ou junto às próteses que usa para caminhar e competir.

O testemunho de Samantha será utilizado pelo juiz Gerrie Nel para tentar demonstrar a suposta personalidade violenta do esportista, de 27 anos. No entanto, segundo antecipou seu advogado, Pistorius negará todos esses fatos durante o julgamento.

Outra testemunha, o boxeador e amigo de Pistorius Kevin Lerena, declarou ontem que Pistorius disparou acidentalmente a arma de um amigo em um conhecido restaurante de Johanesburgo, fato que ocorreu apenas um mês antes dele ter disparado contra sua namorada.

Nel acusa Pistorius de ter matado sua namorada – que tinha 29 anos – de forma proposital após uma discussão durante a madrugada de 14 de fevereiro do ano passado.

O atleta, que na última segunda confessou ter disparado contra sua namorada através da porta fechada do banheiro, alega que teria matado a modelo ao pensar que fosse um intruso que tinha invadido sua casa de Pretória.

Pistorius é acusado de “assassinato premeditado” e, se for considerado culpado, poderá ser condenado à prisão perpétua.

A ex-namorada do velocista é a oitava testemunha convocada a depor desde o início do julgamento na última segunda.

Nos Jogos de Londres, Oscar Pistorius se tornou o primeiro atleta com as duas pernas amputadas a competir em uma Olimpíada, fato que fez de Pistorius um exemplo mundial de superação e coragem.