Pioneira do jornalismo literário, Lillian Ross morre aos 99 anos

A causa da morte, segundo a sua antiga editora, Susan Morrison, foi um acidente vascular cerebral

Uma das pioneiras do jornalismo literário, famosa por seu trabalho na revista New Yorker, Lillian Ross morreu, aos 99 anos, em Nova York, nos EUA. A informação é do New York Times.

A causa da morte, segundo a sua antiga editora, Susan Morrison, foi um acidente vascular cerebral. Ela estava no Lenox Hill Hospital, na ilha de Manhattan.

Ross começou a carreira em 1945, quando foi contratada por William Shawn, editor da New Yorker. Anos depois, ela sugeriu para Shawn retratar a visita a um set de filmagens, em Hollywood, como um romance. Foi assim que a revista começou a abrir um espaço de “histórias não fictícias”, que veio a ser usado por Truman Capote tempos depois.

Lillian Ross ficou famosa, também, por consolidar a expressão do jornalista como a “mosca na parede”.

Em Here but Not Here: A Love Story, polêmico livro lançado por ela em 1998, Lillian revelou que ela e Shawn, que era casado, tiveram um relacionamento amoroso que durou mais de 50 anos.

Lillian Ross deixa um filho, Erik, nascido em 1965 e que foi adotado por ela.