Pilates para melhorar a qualidade de vida e prevenir lesões

Correção postural, aumento da flexibilidade e força abdominal são alguns dos benefícios mais conhecidos que essa modalidade traz aos seus praticantes

São Paulo – O aumento do número de adeptos do Pilates é perceptível nas academias do país, entretanto ainda não há uma estatística precisa referente a esse crescimento. Segundo a Associação Brasileira de Pilates, a rapidez dos resultados é um dos fatores que incentiva as pessoas a começarem a praticar essa atividade.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), praticar uma atividade física regular moderada reduz a gravidade de deficiências ligadas a cardiopatia e outras doenças crônicas. Dessa forma, o Pilates pode ser considerado um método de prevenção, pois atua no desenvolvimento da estabilidade corporal, além de melhorar a respiração, flexibilidade, corrigir a postura, prevenir lesões e aumentar a autoestima . “Com a prática regular do Pilates é possível adquirir uma força maior nos músculos do corpo, o que influencia nas atividades exercidas diariamente”, explica a fisioterapeuta pertencente ao Núcleo de Conhecimento Técnico da Mercur, Tânia Fleig.

Indicado para todas as idades, especialmente para aqueles que sofrem de dores crônicas ou problemas musculares, o Pilates não causa desgaste dos músculos, nem das articulações, pois envolvem exercícios de baixo impacto e com poucas repetições. “Qualquer pessoa pode praticar a atividade, mas se tem dores musculares, problemas ósseos ou crônicos é melhor que o trabalho seja acompanhado por um fisioterapeuta, além do instrutor físico”, alerta Tânia.

Para quem sofre com dores nas costas, o Pilates também é uma boa opção como forma de tratamento, “Os exercícios, que podem ser feitos com aparelhos específicos ou com a Gym Ball, promovem o realinhamento da coluna e o fortalecimento da musculatura abdominal”, afirma a fisioterapeuta. “E por trabalhar com exercícios direcionados para outras partes do corpo, também contribuem para a reabilitação de diversas patologias”, finaliza a profissional.