Peças únicas Speake-Marin lembram temática “Memento Mori”

A dança destas caveiras foi inspirada pela fascinação de Speake-Marin pelo conceito medieval de “Memento Mori”

Das apresentações surpreendentes que tivemos durante o Salão Internacional de Alta Relojoaria (SIHH), que aconteceu em meados de janeiro, em Genebra, na Suíça, sem dúvidas, a da relojoaria Speake-Marin foi uma das mais surpreendentes.

Não apenas pelo lançamento de seus relógios únicos de alta complicação, Crazy Skulls, mas também pelo teor de sua apresentação, que teve um ator que contava a história do fundador da relojoaria, o homônimo Peter Speake-Marin.

A atuação certamente ocorreu por ser o primeiro ano da companhia no SIHH, para poder contextualizar os participantes da história da marca – de sua origem na Inglaterra ao seu estabelecimento na Suíça, onde ainda opera.

Crazy Skulls combinam um turbilhão de 60 segundos, um repetidor de minutos com carrilhão (que emite uma melodia), e um mostrador animado na temática “Memento Mori”, uma expressão latina que significa “Lembre-se da morte”.

m1

 (/)

O relojoeiro, que equipou um relógio com uma caveira pela primeira vez há 10 anos, conta a história desta peça como “duas almas ligadas pela morte por um coração”.

O coração em questão é formado pela junção de dois crânios de perfil (pretos em um modelo e cinzas em outro) posicionados no mostrador da peça que enquadram uma gema posicionada no centro do turbilhão, na posição de 6 horas.

Quando um botão deslizante na lateral da caixa é ativado, os sinos do repetidor de minutos soam enquanto outro mecanismo separa as duas caveiras para revelar o turbilhão.

Neste mesmo momento, os algarismos romanos às 12 horas começam a “cair”, representado o desespero de dois amantes enquanto seu mundo desmorona.

Quando os três gongos da repetição de minutos terminam a melodia, os crânios se reúnem, o coração é novamente formado, o turbilhão é oculto e os algarismos voltam para a posição inicial.

m2

 (/)

A dança destas caveiras foi inspirada pela fascinação de Speake-Marin pelo conceito medieval de “Memento Mori”, que remete a natureza da mortalidade e lembra seus adeptos que a vida é curta e que a morte é o grande equalizador de todos nós.

O termo, por muitos anos, foi associado com a imagem de crânios.

m3

 (/)

m4

 (/)

A caixa de ambas as peças possui o formato familiar “Piccadilly”, que mede 42 mm de diâmetro e possui seu miolo elaborado em titânio grau 5 e verso e bisel elaborados em platina.

As caveiras com gravações do mostrador são feitas em alumínio. Já os ponteiros, em aço azulado, contam com um formato típico dos relógios da companhia.

m5

 (/)

Um novo movimento de corda manual, o calibre SMC01, que conta com 72 horas de reserva de energia, e tem seu turbilhão finalizado à mão.

A ponte inferior da gaiola do turbilhão possui formato de pá para oferecer uma visibilidade às engrenagens que o circundam.

O verso em cristal de safira permite a visualização das pontes e da placa principal com diversos acabamentos de alta relojoaria. Os dois modelos são finalizados por uma pulseira em couro de crocodilo com fecho em ouro.

Cada peça custa US$ 414 mil, sem a adição de impostos e taxas.