Paulo André afirma que ao Corinthians só interessa a vitória

Segundo o zagueiro, seu time não ficará conformado com o segundo lugar

Yokohama – O zagueiro Paulo André do Corinthians afirmou nesta sexta-feira que a equipe brasileira só pensa na vitória na final do Mundial de Clubes, domingo em Yokohama contra o Chelsea, e que não ficará conformado com o segundo lugar.

“Ter chegado à final é uma conquista importante, mas nenhum corinthiano ficará feliz se não vencermos a final. Devemos buscar a vitória, temos que ter consciência da importância desta partida para a história do clube”, afirmou o jogador de 29 anos.

O Corinthians garantiu a vaga para a final ao derrotar o campeão africano, o egípcio Al Ahly, por 1-0 em uma partida na qual teve uma atuação abaixo da média no segundo tempo.

“Nós jogadores não estamos conversando sobre isto, mas em nossas cabeças sabemos que podemos fazer melhor. Estamos preparados para a final e para sair do Japão felizes e realizados”, completou o zagueiro.

Paulo André também apontou o brasileiro Oscar, os espanhóis Juan Mata e Fernando Torres e o belga Eden Hazard como os jogadores mais perigosos do Chelsea.


“São as referências e devemos manter as linhas muito juntas, devemos ser rápidos com a bola ou sem ela. Temos que reduzir espaços e atuar compactos como equipe”, completou.

“Mata joga na seleção espanhola e temos que ter cuidado com seus passes em diagonal. Hazard é muito rápido, mais habilidoso no um contra um e difícil de controlar”, explicou.

“A melhor defesa contra o Chelsea deve ser o ataque. A tática do Monterrey, esperando atrás, não teve sucesso. Eles nos respeitam, assim como nós os respeitamos”.

Paulo André disse ainda que confia na inspiração da dupla de ataque do Corinthians, Emerson Sheik e o peruano Paolo Guerrero, e na estrutura tática da equipe.

“Acredito que somos o time mais europeu do Brasil, com uma linha de defesa mais adiantada, pressionando”, explicou.

“Nossa equipe é muito tática, tem um jogo definido, jogamos há dois anos da mesma forma. Não é um futebol maravilhoso, mas é um futebol respeitável e eficiente com o qual fomos campeões da Copa Libertadores”, disse.