Paul McCartney luta contra consumo de peru em Ação de Graças

Com uma camiseta escrita "não coma" sobre o desenho de um peru, o ex-Beatle aparece na campanha

Londres – Em uma campanha lançada pela associação de defesa dos direitos dos animais PETA, o cantor britânico Paul McCartney pede para os americanos dizerem “não obrigado” ao peru servido no tradicional jantar de Ação de Graças, informa nesta sexta-feira a revista musical britânica “NME”.

Com uma camiseta escrita “não coma” sobre o desenho de um peru, o ex-Beatle aparece na campanha para denunciar um suposto tratamento inadequado que o animal recebe nos Estados Unidos e, por isso, sugere substituir essa iguaria por pratos vegetarianos como os que o próprio músico, de 70 anos, costuma cozinhar.

“Não sabe como preparar um jantar vegetariano para o dia de Ação de Graças deste ano? Olha as receitas deliciosas e sem crueldade que Paul McCartney cozinhará e tente convencer sua família e amigos com algumas opções de prato sem carne”, indicou a PETA em seu site.

Anteriormente, McCartney já colaborou com esta organização em outra campanha, intitulada “Paredes de vidro”, onde denunciava a crueldade dos matadouros em um vídeo no qual assegura que, se esses centros tivessem paredes de vidro, “todo mundo seria vegetariano”.

Agora, o autor de “Hey Jude” retoma sua relação com a PETA para denunciar que a cada ano mais 300 milhões de perus são criados somente para serem servidos no jantar de Ação de Graças, realizado na quarta quinta-feira de novembro nos EUA (22/11) e na segunda segunda-feira de outubro no Canadá.

“Mais de 45 milhões de perus são sacrificados no feriado de Ação de Graças”, denuncia a associação, que considera esse feriado tão “sangrento” como o Natal, quando “22 milhões de aves” também são sacrificadas.