Os exóticos destinos dos ricos a bordo de seus jatos privados

Os ricos normalmente possuem jatos por conveniência e privacidade

Ondas de calor e protestos este mês em Nova York, Londres e Hong Kong podem ter deixado alguns moradores das cidades sonhando com fins de semana em praias desertas.

O caminho mais rápido para concretizar essas fantasias é usando um jatinho particular, um meio de transporte exclusivo cada vez mais popular entre os super-ricos.

Os voos de jatos privados aumentaram quase 10% no ano passado, segundo uma análise de 30 destinos de ilhas pela corretora de imóveis Knight Frank e consultoria de aviação WingX. Os jatos particulares voaram para ilhas no continente americano quase 30 mil vezes, tornando a região o maior hub mundial de aviação não comercial, liderado pelas Bahamas, Porto Rico e Ilhas Cayman.

“Jatos particulares são o meio mais relaxado” para viajar, disse o sócio da Knight Frank, Alasdair Pritchard, que assessora clientes bilionários. “Se você puder pagá-lo e experimentá-lo, não tem volta atrás.”

Os dados oferecem um panorama do estilo de vida dos fabulosamente ricos. Além de super-iates, os jatos particulares são um dos maiores troféus dos super-ricos, com preços que variam entre alguns milhões de dólares e mais de US$ 50 milhões.

Considerando os custos de combustível e a equipe necessária para gerenciar a aeronave, apenas manter um jato particular pode ser quase tão caro quanto comprar um.

Viagens privadas: dados mostram destinos principais dos milionários que tiram férias com seus jatos privados Viagens privadas: dados mostram destinos principais dos milionários que tiram férias com seus jatos privados

Viagens privadas: dados mostram destinos principais dos milionários que tiram férias com seus jatos privados (Bloomberg/Divulgação)

Veja também

Mais de dois terços das chegadas às Bahamas tiveram origem nos EUA, no Canadá ou no próprio território. Na Europa, os jatos que aterrissam em Maiorca, Ibiza e Sardenha – as três ilhas mais visitadas do continente para aterrissagens de aviões particulares – partiram de países vizinhos, como Espanha e Alemanha.

“Todas as pessoas que fazem voos particulares me dizem que não iriam de Londres a Hong Kong”, disse Joe Stadler, chefe de clientes ultra-alto patrimônio do UBS, em entrevista. “Para fazer essa viagem de um dia, vão usar jatos privados. Para ele, uso crescente de jatos particulares é um indicador de quão cheios estão os aeroportos agora.

Filipinas, Maldivas e Bali foram os principais destinos na região da Ásia-Pacífico, onde as chegadas de jatos particulares aumentaram mais de 80%, refletindo um boom de riqueza no qual a China ganha um novo bilionário a cada dois dias. A Ásia é agora o lar de cerca de 25% dos incluídos no Índice de Bilionários Bloomberg, um ranking das 500 pessoas mais ricas do mundo.

Os ricos normalmente possuem jatos por conveniência e privacidade. Oprah Winfrey disse à revista britânica Vogue no ano passado que comprou um depois que um fã a confrontou em um aeroporto.