Novidades do streaming e das artes plásticas para o fim de semana

Veja dicas de duas exposições de arte em São Paulo e duas séries que estreiam nos serviços de streaming nesta semana

Jéssica Jones, 3ª temporada

“Demolidor” não resistiu. Nem mesmo “Luke Cage”, “O Justiceiro” e “Punho de Ferro”. Das séries da Marvel lançadas na Netflix só “Jessica Jones”, ainda, não foi cancelada – e só porque sua nova temporada já estava em produção. Não é preciso ter super-poderes para entender por que todas elas foram abatidas: dona da Marvel há uma década, a Disney promete lançar em novembro sua própria plataforma de streaming, a Disney+. Continuações dos seriados cancelados são esperados por lá, assim como as temporadas anteriores.

Interpretada com maestria por Krysten Ritter, Jessica Jones é sem dúvida uma das anti-heroínas mais cativantes dos últimos tempos. A 3ª temporada da série dedicada a ela promete recuperar o fôlego perdido na de número 2, na qual a detetive mal-encarada, quase sempre alcoolizada, passa boa parte dos episódios numa violenta e sonolenta DR com a mãe, poderosa como a filha.

Onde assistir: Netflix, estreia 14 de junho.

Todo mar tem um rio, de Marina Rheingantz

Obra de Marina Rheingantz Obra de Marina Rheingantz

Obra de Marina Rheingantz (Galeria Fortes D'Aloia & Gabriel/Divulgação)

De estagiária da Fortes Vilaça, hoje Fortes D’Aloia & Gabriel, Marina Rheingantz se converteu em uma das estrelas em ascensão da galeria paulistana.
Depois de expor até 15 de junho ao lado do fotógrafo Mauro Restiffe na Carpintaria, o braço carioca da Fortes, a pintora nascida em Araraquara ganhou nova mostra.

Nela a artista apresenta seu trabalho em escala monumental. São apenas quatro pinturas, com 3 metros de altura e larguras que variam entre 3 e 5,5 metros, que permitem vislumbrar paisagens (cenas de viagens? Recordações da infância em Araraquara?) que se fundem a abstrações.

“Emanando uma atmosfera difusa como a própria memória, suas paisagens transitam entre a quietude e a distopia, nas quais a presença humana nunca se revela enquanto figura, mas através de vestígios”, explica o texto de apresentação da exposição.

Onde: Galpão da galeria Fortes D’Aloia & Gabriel, Rua James Holland 71, Barra Funda, São Paulo. Até 20 de julho.

Big Little Lies, 2ª temporada

Big Little Lies, da HBO Big Little Lies, da HBO

Big Little Lies, da HBO (HBO/Divulgação)

Com um elenco estelar na primeira temporada – Nicole Kidman, Reese Witherspoon, Laura Dern e Shailene Woodley, para ficar só nas protagonistas -,
a série criada por David E. Kelley ganhou mais um nome de peso na segunda: Meryl Streep.

Para não tirar a graça de quem ainda for assistir a temporada inicial, o que podemos revelar é que a atriz veterana entra na história para tentar desvendar mais uma das “big little lies” que perduram em uma cidadezinha costeira na Califórnia.

Vencedora de 8 prêmios Emmy, a série da HBO retrata a vida aparentemente irretocável de um grupo de mães com alto poder aquisitivo que habitam uma pacata localidade. A chegada de uma mãe solteira, vivida por Shailene Woodley, coincide com o início de uma série de desconfortos que culmina com revelações dolorosas.

Onde assistir: HBO, estreou dia 9 de junho.

A linha como direção, vários artistas

Obra do neoconcretista Willys de Castro Obra do neoconcretista Willys de Castro

Obra do neoconcretista Willys de Castro (Pinacoteca/Divulgação)

Concebida pelo Núcleo de Pesquisa e Curadoria da Pinacoteca de São Paulo, a mostra que agora ocupa todo o segundo andar do prédio chamado Estação joga luz sobre a importância da linha como elemento geométrico na história da arte.

Em 1920, os construtivistas russos conceberam o Manifesto Realista no qual defendiam “a linha como direção”. Com trilhos e vigas em mente, por exemplo, que são capazes de aguentar cargas enormes mesmo sendo constituídos de pouco material, fizeram diversas reflexões. Suas esculturas, que exaltam leveza, transparência e movimento – em oposição aos velhos monumentos -, são resultado delas.

Na mostra, o legado deixado pelos construtivistas é exaltado na obra de artistas díspares como o neoconcretista Willys de Castro, o marceneiro Joaquim Tenreiro e o pintor contemporâneo Sérgio Sister.

Onde: Estação Pinacoteca, Largo General Osório, 66, 2º andar, Centro, São Paulo. De 15 de junho a 3 de fevereiro.