No Salão de Genebra, fabricantes de carros mostram novas facetas

Salão continua sendo o melhor lugar para lançar automóveis excitantes e caros que os consumidores querem dirigir, independentemente do preço e da eficiência

A partir de hoje, a Suíça será o centro do mundo automotivo.

Embora cada vez mais exigentes em relação ao momento e ao lugar onde exibem seus últimos lançamentos, as fabricantes de veículos não deixam de lado o Salão do Automóvel de Genebra, realizado neste ano de 8 a 18 de março no centro de exposições Palexpo. E enquanto os salões automotivos de Los Angeles e Nova York se concentraram fortemente na “mobilidade” — direção autônoma, energia elétrica, híbridos, criações tipo casulos que não são exatamente carros –, Genebra continua sendo o melhor lugar para lançar automóveis excitantes e caros que os consumidores realmente querem dirigir, independentemente do preço e da eficiência.

Veja também

Este é o lugar para testar a identidade da marca — ou criar uma nova. Provas A e B: a nova linha de alto desempenho da Volvo, a Polestar, exibirá um cupê atraente, e a Jaguar expandirá sua excelente frota de sedãs com uma wagon esportiva. Até mesmo a Range Rover, tipicamente focada no off-road, mostrará um “cupê” para quatro pessoas construído à mão em sua divisão de operações especiais.

Joias da coroa

Geralmente, são os supercarros extremos que atraem mais atenção para as marcas — e dos fãs — neste salão. Em 2018, a McLaren exibirá o Senna, que com seus 789 cavalos será o carro elétrico apto para as ruas mais poderoso até o momento. (A empresa já vendeu todas as 500 unidades do supercarro de US$ 1 milhão: “Genebra é isso”, disse Harley, ironicamente. “Quando chegam ao estande, muitos dos carros já estão esgotados.” As entregas começam nesta primavera no Hemisfério Norte).

McLaren Senna GTR, apresentada no Salão de Genebra McLaren Senna GTR, apresentada no Salão de Genebra

McLaren Senna GTR, apresentada no Salão de Genebra (Denis Balibouse/Reuters)

A Bugatti e a Hennessey, que produzem menos de 1.000 carros por ano cada uma, enfrentarão uma nova candidata ao título da velocidade máxima: uma empresa desconhecida chamada Corbellati. A marca familiar anunciou que exibirá o hipercarro “Missile”, como motor V8 e 1.800 cavalos de potência, capaz de chegar a 500 km/h. É fácil dizer essas coisas em um pedaço de papel sem apoio no mundo real, por isso a afirmação é recebida com ceticismo. Mas, novamente, é para isso que existe o Salão de Genebra. E se Corbellati chegar aos 500 km/h, superará as outras duas.

Ainda dentro deste grupo de elite, a Ferrari mostrará uma edição especial do modelo 488, de 710 cavalos, que está chamando de Pista; trata-se da Ferrari V8 mais poderosa até o momento. O nome italiano Pista tem o mesmo significado em português, e é apropriado: esse cupê leve vai de zero a 100 km/h em 2,85 segundos e tem velocidade máxima de 339 km/h.

A Lamborghini está tentando ampliar a animação em torno do que levará ao evento, que será uma atualização importante de um modelo existente, embora um porta-voz tenha preferido não informar detalhes. E a Aston Martin trará o Vantage, um carro totalmente novo, juntamente com o DB11 Volante e uma versão cupê deste.

Há também especulações de que a Bentley mostrará uma versão híbrida do SUV Bentayga, que seria o primeiro do tipo da marca.

Se for verdade, será a combinação perfeita para o salão mais prestigiado do mundo automotivo: grande, corajoso, caro e com os olhos no futuro.