“Não matei ninguém, peço apenas justiça”, diz Maradona

O ex-jogador argentino se referiu ao fisco italiano, que o condena a pagar 37,2 milhões de euros em impostos atrasados

Nápoli – “Não matei ninguém, venho apenas pedir justiça”, afirmou nesta terça-feira o ex-jogador argentino Diego Armando Maradona referindo-se ao fisco italiano, em uma entrevista coletiva em Nápoles.

O craque argentino disse que é uma vítima e não culpado.

Ao mesmo tempo ele fez piadas sobre a situação política italiana, ao afirmar que não sabe quem é o presidente do conselho do país.

“Grilo (em referência ao humorista Beppe)? Berlusconi?”, perguntou.

O ex-jogador do Napoli, pelo qual conquistou dois campeonatos italianos nos anos 80, chegou na segunda-feira ao país e foi recebido por muitos fãs.

O ex-jogador foi condenado em 2005 pelo Tribunal de Cassação a pagar 37,2 milhões de euros, sendo 23,5 milhões em juros, por não ter pagado regularmente os impostos quando morou em Nápoles (1984-1991).

A justiça italiana, no entanto, decidiu recomeçar o processo em 3 de novembro de 2012 por erros de procedimento e abriu uma nova investigação.