Namorada estava em posição defensiva quando morreu

Reeva Steenkamp estava em posição de defesa quando recebeu o último tiro de seu namorado, diz a polícia

Johanesburgo – A modelo Reeva Steenkamp estava em posição de defesa lateral quando recebeu o último tiro de seu namorado, o atleta paralímpico sul-africano Oscar Pistorius, declarou nesta quarta-feira o perito em balística da polícia, Chris Mangena, no julgamento ao desportista pelo assassinato de sua namorada.

Segundo o depoimento de Mangena, o último dos quatro tiros com que Pistorius matou sua namorada atravessou a mão esquerda da modelo antes de atingir a parte direita de sua cabeça.

Oscar Pistorius, de 27 anos, reconheceu ter matado a tiros Steenkamp através da porta fechada do banheiro de sua casa em Pretória, mas sustenta que agiu dessa maneira porque pensou que se tratava de um intruso.

A jovem “tinha as mãos cruzadas, com a esquerda cobrindo a parte direita de sua cabeça e a (mão) direita cobrindo a esquerda”, disse Mangena na audiência de hoje do julgamento, que começou em 3 de março no Tribunal Superior de Pretória e é transmitido ao vivo pela televisão sul-africana “eNCA”.

Steenkamp, que à época tinha 29 anos, estava de pé por trás da porta quando o corredor disparou a primeira bala, que lhe alcançou o quadril provocando sua queda.

A segunda bala não alcançou à vítima, impactou contra a parede do vaso sanitário e os fragmentos bateram nas costas da modelo ao projétil se desintegrar.

Sentada e incapaz de se manter de pé, Steenkamp adotou uma posição defensiva, com os braços frente ao peito e as mãos na cabeça, explicou Mangena.

A terceira bala – precisou o perito – passou por sua extremidade superior direita.

Mangena declarou, além disso, que o mais provável é que Pistorius – que tem as duas pernas amputadas – caminhava sobre seus cotos e sem as próteses postas quando disparou, ponto em que a defesa e a promotoria concordam.

Além de ser acusado do assassinato de Steenkamp, Pistorius responde no julgamento a outras três acusações, duas delas por atirar em lugares públicos e outra por posse ilegal de munição.

O corpo de Reeva Steenkamp apareceu com vários tiros em 14 de fevereiro do ano passado na casa de Pistorius na capital sul-africana.