Morre Ruedi Giger, o criador de “Alien”

Ele morreu em consequência dos ferimentos sofridos após uma queda

O artista suíço Hans Ruedi Giger, um dos maiores representantes da corrente conhecida como “realismo fantástico” e que criou o monstro “Alien” morreu ontem, informou nesta terça-feira o Museu HR Giger, que fica em Gruyères, no centro da Suíça, e que abriga toda sua obra.

Ele morreu em consequência dos ferimentos sofridos após uma queda, segundo a Televisão Pública Suíça.

Giger (Suíça, 1940) foi principalmente um pintor surrealista, além de escultor, cenógrafo e parte da equipe de efeitos especiais que ganhou em 1980 o Oscar pelo trabalho no filme “Alien”, personagem inspirado em uma criatura criada por ele.

O diretor do filme, Ridley Scott, descobriu “Alien” quando repassava o livro de arte “Necronomicon” (1978), de Giger, enquanto buscava a aparência que queria para a criatura de seu próximo filme.

A biografia oficial de Giger conta que ele se apaixonou muito cedo pelas criações que combinavam o fantástico e o macabro, um interesse que o levou a estudar arquitetura e desenho industrial em Zurique.

O artista realizou documentários e começou com o desenho de criaturas mutantes e tenebrosas, em que associava seres feitos de carne e de peças mecânicas, em uma forma que denominaria depois de “biomecânica”.

Sua obra, que tem o cinza, o azul e o preto como cores dominantes, podem ser vistas no museu que leva seu nome e cuja visita costuma causar mistura de angústia e fascinação.

Aberto em 1998, o HR Giger fica na parte medieval da cidade de Gruyères, um dos principais pontos de interesse turístico do país e também expõe a coleção privada de Giger, que inclui obras de outros representantes do surrealismo, como Salvador Dalí.