Morre Mickey Rooney, eterno astro infantil de Hollywood

O ator faleceu no domingo aos 93 anos e permanecerá para sempre como um dos principais astros mirins de Holywood

Los Angeles –Ele dançou com Judy Garland, casou-se com Ava Gardner e participou de mais de 250 filmes. O ator americano Mickey Rooney morreu neste domingo, aos 93 anos, e permanecerá na memória como um dos principais astros mirins de Holywood.

Rooney estava doente há algum tempo, segundo a imprensa. O site TMZ informou, sem mencionar fontes, que Rooney morreu de causas naturais. A polícia de Los Angeles informou que parentes estavam ao lado do ator no momento da morte.

“É com tristeza que eu informo que meu pai faleceu hoje”, escreveu o coreógrafo Michael Rooney no Twitter.

“Eu o amava, assim como o mundo. Ele inspirou tantos. RIP pai”, completou na mensagem.

Ele gostava de dizer “somos os dois Mickeys mais famosos do mundo” sobre o rato que é símbolo da Disney. Também afirmava que Walt Disney deu o nome ao personagem em sua homenagem.

Baixinho – tinha apenas 1,57 m -, ruivo, com o rosto redondo e sempre sorridente, Mickey Rooney nasceu no Brooklyn, Nova York, em 23 de setembro de 1920 com o nome de Joseph Yule.

Os pais, Joe Yule e Nell Carter, que se separaram em pouco tempo, eram atores de vaudeville itinerantes. O filho os acompanhava no palco aos 17 meses, com um smoking em miniatura e um charuto de borracha.

Em 1926 estreou no cinema mudo e um ano depois se tornou uma estrela com um personagem que ficou muito popular: Mickey McGuire, cujo nome acabou por adotar.

Mas foi com os filmes nos quais interpretou “Andy Hardy” (14 entre 1937 e 1944) que virou ídolo nos Estados Unidos.

Depois de conhecer Judy Garland em um curso de interpretação, dividiu as telas com a popular estrela em vários filmes de sucesso, incluindo a série “Andy Hardy”.

Também teve papéis memoráveis como Puck em “Sonho de Uma Noite de Verão” (1935) e em “A Mocidade é Assim Mesmo” (1944), com Elizabeth Taylor.


Com mais de 250 filmes no currículo, Rooney foi indicado quatro vezes ao Oscar, mas só recebeu uma estatueta honorária em 1982 pelo conjunto de sua carreira.

Em Hollywood, Rooney demonstrou que sabia atuar, cantar e dançar.

“O público e eu somos amigos”, disse uma vez Rooney.

“Eles me permitiram crescer com eles. Eu os decepcionei muitas vezes, eles me decepcionaram muitas vezes. Mas somos todos uma família”.

Depois de ter sido o campeão de bilheteria entre 1939 e 1941, com direito a um Oscar especial de ator jovem em 1939, Rooney teve dificuldades de retomar a carreira ao retornar a Holywood depois de ter sido enviado à Segunda Guerra Mundial.

Ele reiventou a carreira com papéis pequenos e chegou a ter um programa de televisão, “The Mickey Rooney Show”, em 1954.

Na década de 60, fez apresentações e boates e no circuito teatral, ao mesmo tempo que interpretava papéis de coadjuvante em filmes como “Bonequinha de Luxo” (1961) e “Deu a Louca no Mundo” (1963).

Mais recentemente, participou da bem sucedida comédia “Uma noite no museu”, ao lado de Ben Stiller.

Oito casamentos

Rooney recebeu e desperdiçou milhões de dólares, casou oito vezes e se separou legalmente da última esposa, Jan, em junho de 2012.

O ator comentou em uma entrevista seus vários casamentos, incluindo o matrimônio com a lendária Ava Gardner.

“Quando digo ‘sim, aceito’, o juiz de paz responde ‘eu sei, eu sei’. Sou o único homem no mundo cuja certidão de casamento afirma ‘A quem corresponda'”.

“Tive azar no casamento”, disse Rooney em uma entrevista de 2003 a um jornal da Flórida, “mas sou agradecido que tenham me deixado sete filhos, quatro filhas e sete netos”.

Sua última esposa, Jan Chamberlin Rooney, disse na ocasião ao jornal: “Não queria me casar com ele, por seu histórico, mas realmente me apaixonei por ele. Estamos casados há 30 anos e são as coisas boas que contam”.

Mas em 2012 o casal anunciou a separação.

Em março de 2011, Rooney viajou a Washington DC, onde testemunhou em um comitê do Senado sobre o abuso contra as pessoas mais velhas.

Poucos meses depois, ele apresentou acusações por abuso de idosos e fraude contra seu enteado Christopher Aber – filho de sua última esposa – e sua mulher. Um tribunal emitiu uma ordem de restrição contra os Aber e o caso foi decidido a favor de Rooney em 2013.

“Eu tenho trabalhado a minha vida inteira, mas parece mais”, disse uma vez.

*Atualizada às 12h44 do dia 07/04/2014