Morre ex-jogador Zito, bicampeão do mundo e parceiro de Pelé

O corpo de Zito será enterrado nesta segunda em Roseira, interior de São Paulo, sua cidade natal

Santos – José Ely de Miranda, mais conhecido como Zito, morreu neste domingo em Santos, aos 82 anos. O ex-jogador do Santos e da seleção brasileira estava com a saúde debilitada.

Há menos de um ano ele sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e ficou internado por mais de um mês na Santa Casa de Misericórdia. O corpo de Zito será enterrado nesta segunda em Roseira, interior de São Paulo, sua cidade natal.

Zito foi um dos destaques do grande time do Santos, nos anos de 1950 e 60, ao lado de Pelé, Coutinho, Mengálvio, Pepe, entre outros. Eles foram campeões mundiais em 1962 e 1963 e ainda levantaram outras taças importantes.

Titular absoluto da seleção brasileira, o volante Zito formava o meio-campo com Didi.

Ele se destacou nas conquistas das Copas do Mundo de 1958, na Suécia, e 1962, no Chile. Também esteve presente na seleção na Copa de 1966, na Inglaterra.

Quando encerrou a carreira, Zito passou a trabalhar no Santos, sempre ligado às categorias de base.

Foi o responsável, entre outras descobertas, por levar Robinho ao time juvenil santista. Mais tarde, também descobriu Neymar nas quadras de futsal da Baixada Santista.

O corpo de Zito será velado nesta segunda-feira, das 8h às 11h, no Memorial Necrópole Ecumênica de Santos. O enterro deve ocorrer em Roseira, cidade natal do ex-jogador.

Luto

Neymar, um dos garotos de Zito nas categorias de base, postou no Facebook após receber a notícia do falecimento do “professor”. 

“Não tenho palavras pra descrever esse cara, simplesmente agradeço tudo que fez por mim, por ter acreditado e me ajudado no começo da minha carreira! Descanse em paz, fez muito por nós aqui”, escreveu o atacante, que está no Chile com a seleção brasileira.

Já o presidente do Santos, Modesto Roma Junior, recebeu a notícia da morte do amigo enquanto participava de um programa esportivo na TV Gazeta. “Difícil, cara, difícil falar do amigo, principalmente.

A cadeira do Zito na Vila é ao lado da minha, assistimos muitos jogos juntos. Meu sentimento à dona Cecíla, às filhas do Zito e, realmente, triste, chateado pela perda do grande capitão. Ele sim, o grande capitão.”