Modiano comemora Nobel de Literatura

Patrick Modiano afirmou estar feliz por ter recebido o Nobel de Literatura, mas comentou, com sua habitual modéstia, que ganhar o prêmio é estranho

Paris – O escritor francês Patrick Modiano afirmou estar feliz por ter recebido o Nobel de Literatura, mas comentou, com sua habitual modéstia, que ganhar o prêmio é estranho, comentou seu editor, Antoine Gallimard.

“Telefonei para Modiano. Eu o parabenizei e ele, com sua habitual modéstia, disse: ‘é estranho’. Mas estava muito feliz”, contou o presidente da editora Gallimard.

“Para nós, é uma profunda surpresa e um dia maravilhoso”, acrescentou.

O presidente francês François Hollande também felicitou Modiano através do Twitter.

“Felicitações a Patrick Modiano, este prêmio Nobel consagra uma obra que explora as sutilezas da memória e a complexidade da identidade”, afirmou o chefe de Estado.

Modiano, autor de romances que se concentram em temas como a culpa, a memória e o sofrimento de um país sob a ocupação nazista, venceu nesta quinta-feira o Prêmio Nobel de Literatura.

O prêmio foi concedido a este autor “pela arte da memória com a qual evocou os destinos humanos mais inatingíveis e revelou o mundo da ocupação” nazista da França (1940-1944), anunciou a Academia Sueca em um comunicado.

Modiano, de 69 anos, situou toda a sua obra na Paris da Segunda Guerra Mundial, descrevendo os acontecimentos daquela época através de personagens comuns.

Seu estilo sóbrio e claro fez dele um escritor acessível apreciado pelo grande público e também pelos círculos literários.