MP cobra R$ 7 milhões de youtuber por tweet racista sobre Mbappé

Publicação feita por Júlio Cocielo no final de junho é uma "notória manifestação de racismo", segundo a Promotoria de Direitos Humanos do órgão

São Paulo — Dois promotores de Direitos Humanos entraram nesta quarta-feira (12) com uma ação na Justiça contra o youtuber Júlio Cocielo. O Ministério Público de São Paulo pede que o influenciador digital seja condenado a pagar mais de R$ 7 milhões por dano social coletivo causado por um tweet sobre o jogador da seleção francesa de futebol Kylian Mbappé.

A polêmica aconteceu na Copa do Mundo de 2018, mais especificamente durante o jogo da França contra o Uruguai. Foi no momento em que Mbappé correu de um lado do campo paro o outro em uma velocidade de 32,4 km/h, que o youtuber tuítou: “Mbappé conseguiria fazer uns arrastão top na praia hein”.

 

 (Twitter/Reprodução)

“Trata-se de um jovem jogador negro, francês de ascendência camaronesa, de compleição física robusta e que mostrou, nos jogos da seleção francesa na Copa da Rússia, impressionantes velocidade e explosão, daí advindo, em notória manifestação de racismo, a sua associação com os assaltantes (negros, na ótica do autor) que praticam crimes de roubo nas praias brasileiras, sobretudo fluminenses, sempre sob contínua e desabalada corrida”, diz a ação.

Os promotores ainda pedem “a quebra de sigilo bancário do réu a fim de subsidiar a sua condenação na obrigação de pagar a quantia imposta”. A multa cobrada por “dano social e coletivo” é de R$7,4 milhões. O youtuber ainda não se pronunciou sobre o assunto.

O tweet racista acabou desenterrando outros comentários do youtuber com o mesmo teor preconceituoso. Em poucos dias, mais de 50 mil publicações no Twitter dele foram excluídas.  A primeira reação de diversas marcas, como Submarino e Itaú Unibanco, foi parar de patrociná-lo. Depois, veio o vídeo de desculpas publicado em seu próprio canal.