Michael Sam é cortado e NFL não terá seu 1º gay assumido

O corte do jogador acontece no dia em que cada franquia era obrigada a reduzir o elenco até 53 jogadores

O St. Louis Rams decidiu neste sábado deixar de fora do elenco de 53 jogadores o defensive end Michael Sam, que ficou bem próximo de se tornar o primeiro jogador gay assumido da NFL, a liga profissional de futebol americano dos Estados Unidos.

O atleta ficou fora apesar do bom desempenho na pré-temporada. Apenas na última quinta-feira, quando os Rams encararam o Miami Dolphins, Sam atingiu seis tackles, ou seja, conseguiu derrubar um adversário que estava com a posse de bola.

O corte do jogador acontece no dia em que cada franquia era obrigada a reduzir o elenco até 53 jogadores para disputar a temporada.

Sam foi escolhido no draft realizado em maio pela NFL, depois de ter sido colocado na lista dos jogadores com poucas chances de assinar com equipe da liga. Antes de assumir ser homossexual, o defensor era um dos favoritos no processo seletivo.

O jogador virou agente livre com o corte e ainda tem chance de atuar por outra equipe, para isso, precisa assinar contrato até amanhã, data limite para este tipo de contratação. EFE