Mesa para poucos

O novo restaurante de Tsuyoshi Murakami é o mais recente a seguir a receita que recomenda reduzir o número de clientes para elevar a experiência

No Kinoshita, na Vila Nova Conceição, que comandou até junho de 2017, o chef Tsuyoshi Murakami precisava alimentar até 72 pessoas por vez, considerando a lotação máxima do restaurante. No Murakami, seu novo empreendimento, em funcionamento há três meses, o sushiman dispõe somente de um balcão com doze lugares para atender a clientela.

“Você não sabe a diferença que é fazer compras para um restaurante como esse”, afirma ele. “Não preciso comprar 5, 6 peixes, mas escolher ‘O’ atum e posso mudar o cardápio todo dia em função do que realmente há de melhor”. Ele opta pelo wassabi de verdade, a raiz oriental fresca, em vez daquela pasta de raiz-forte pigmentada que é encontrada na maioria dos restaurantes orientais do país.

Instalada num imóvel comprido na Alameda Lorena, no Jardim Paulista, em São Paulo, a novidade funciona de segunda a sábado em dois turnos, às 18h e às 21h. Como há poucos lugares, é indispensável reservar, embora o chef não se negue a encaixar um desavisado ou outro que apareça de última hora.

Tsuyoshi Murakam: Pargo marinado no misso com rabanete, minialcaparras, umenoshi e azeite Tsuyoshi Murakam: Pargo marinado no misso com rabanete, minialcaparras, umenoshi e azeite

Tsuyoshi Murakam: Pargo marinado no misso com rabanete, minialcaparras, umenoshi e azeite (Murakami/Divulgação)

O restaurante é o mais recente a seguir a receita que recomenda reduzir o número de clientes para elevar a experiência. O japonês Kuro e a matriz da Bottega Bernacca, na mesma região, também apostam na fórmula. “Precisava voltar ao circuito com um restaurante que fosse diferente”, diz Murakami, que desde a saída do Kinoshita vinha se dedicando principalmente a eventos.

Secundado pela mulher, Suzana, o único filho, Jun, o sommelier Ricardo Santinho Pinheiro e outros assistentes, Murakami trabalha apenas com menu-degustação, a R$ 300 por pessoa (com harmonização fica R$ 550). A sequência é composta por cinco pratos e uma sobremesa.

No dia 23 de dezembro, para citar um exemplo, ele abriu a refeição com sashimi de robalo, ameixa japonesa, mini alcaparras e azeite Olibi. A seguir, vieram a salada de ostras de Cananéia, a berinjela japonesa com dashi concentrado e o sashimi de atum bluefin. O donburi de chorizo de wagyu com cogumelos, quiabo, ovo, higan e molho teriyaki fechou o ciclo principal. De sobremesa, o tradicional doce japonês de arroz, o mochi.

Para quem quiser complementar a refeição há um menu enxuto com pedidas como sashimi de carapau marinado (R$ 50) e vieiras (R$ 50). O cardápio de vinhos lista brancos como o alvarinho 2018 da Covela (R$ 175) e o sauvignon blanc da Cedrick Bardin (R$ 245).

Onde provar: Murakami, Alameda Lorena, 1186, Jardim Paulista, São Paulo, (11) 3064-8868.

Tsuyoshi Murakami Tsuyoshi Murakami

Tsuyoshi Murakami (Rodrigo M.I. Oura/Divulgação)