McLaren acelera e bate a meta de vendas no Brasil

Resultado foi apresentado nesta terça-feira, 18, na loja da marca em São Paulo. Mas a atração do evento foi carro que vale mais de 6 milhões de reais

A Mclaren abriu sua loja no Brasil em maio de 2018 com a meta de vender 20 carros no primeiro ano de funcionamento. Parece pouco? É preciso levar em consideração que o modelo mais barato, o 540C, custa 1,5 milhão de reais. Bem, até abril de 2019 a marca britânica havia vendido 26 unidades. Até o fim do ano passado, foram 44 carros comercializados.

Os números, antecipados por EXAME com exclusividade, foram apresentados oficialmente na manhã desta terça-feira, 18, na bonita loja que mais parece uma galeria de arte, localizada numa esquina do sofisticado bairro da Vila Olímpia, em São Paulo. A grande atração do evento, no entanto, será a McLaren Senna GTR exposta no local.

Vamos às necessárias apresentações. A McLaren Senna GTR é um carro homologado somente para as pistas. O que isso quer dizer? Que esse carro não pode rodar pela avenida Europa, em São Paulo, pela avenida Niemeyer, no Rio de Janeiro, nem em nenhuma outra rua no Brasil ou no mundo. É brinquedo para poucos, que podem levar o carro em autódromos para track days, ou dias de provas promovidos por marcas, para testes de aceleração e cronometragem de tempo de volta.

Para poucos porque o custo do carro seria de 1,44 milhão de dólares, ou 6,23 milhões de reais. Isso lá fora. Aqui, esse preço certamente seria maior, pelos impostos. Seria, porque apenas 75 unidades desse carro foram produzidos e todos já foram vendidos. Somente quem já havia comprado um modelo McLaren Senna, série também limitada a 500 unidades, pôde se candidatar a comprar um Senna GTR, um legítimo carro de corridas com motor V8 e 825 cv de potência.

 

Veja também

O carro exposto na loja da marca em São Paulo foi o único vendido para a América Latina. O modelo pertence à Fundação Lia Maria Aguiar, que promove ações de cultura, educação e inclusão com crianças em Campos do Jordão, na Serra da Mantiqueira, em São Paulo.

Lia é uma das três filhas de Amador Aguiar, o mítico fundador do Bradesco. Hoje é uma das acionistas do banco Bradesco e da holding Bradespar. Segundo levantamento da Forbes, o patrimônio de Lia é de 1,3 bilhão de dólares. No evento, o destino do McLaren Senna GTR foi anunciado: o carro ficará exposto em um museu do automóvel ligado à Fundação Lia Maria Aguiar, que abrigará modelos de épocas diversas e com inauguração prevista para 2021.