Mansão onde morreu Al Capone é colocada à venda por US$ 9,5 mi

A mansão, construída em 1922, é uma das mais antigas de Miami Beach

Miami – A luxuosa residência em uma ilha artificial de Miami Beach (EUA) na qual Al Capone viveu e onde o famoso gangster morreu em 1947 foi colocada à venda por US$ 9,5 milhões.

A mansão, construída em 1922 à beira-mar em Palm Island, é uma das mais antigas de Miami Beach e pertenceu originalmente a Clarence Busch, da dinastia de Anhueser-Busch, que em sua época controlou a maior cervejaria do mundo, agora pertencente à gigante belga-brasileira InBev.

Em 1928, Busch vendeu a residência do número 93 da Avenida Palm ao gangster nova-iorquino por US$ 40 mil, pouco antes de Al Capone ser apanhado pelas autoridades americanas e enviado à prisão de Alcatraz.

Após ser libertado, em 1939, já muito debilitado fisicamente, o gangster viveu recluso neste imóvel até sua morte.

Em janeiro de 1947, Al Capone foi encontrado morto na banheira de uma das dependências da mansão.

A residência é composta de duas casas principais, dois apartamentos para hóspedes, uma cabana de dois andares, uma piscina de 18 metros de comprimento por 9 de largura e um jardim tropical de 2.800 metros quadrados.

Segundo indicam os sites imobiliárias de Miami, o atual dono é Peter Corsell, fundador de uma companhia de tecnologia energética que a comprou por US$ 5,7 milhões e a renovou.