Man Ray ganha exposição inédita em São Paulo

Artista americano, que marcou cena vanguardista de Paris, fica no CCBB em São Paulo até outubro

São Paulo – Entre fotografias, serigrafias, vídeos e objetos, o Centro Cultural Banco do Brasil em São Paulo apresenta ao público brasileiro o fotógrafo Man Ray (1890-1976) e seu trabalho em seus anos mais prolíficos: quando viveu em Paris, entre 1921 e 1940.

Nascido na Filadélfia (EUA) com o nome Emanuel Radnitzky, Man Ray foi figura central do dadaísmo americano e do surrealismo parisiense. Para além da fotografia, foi um artista versátil, trabalhando com cinema, pintura, esculturas, objetos ready-made e estudando arquitetura e engenharia na juventude.

A exposição “Man Ray em Paris”, gratuita, abriu ontem (21) e vai até 28 de outubro. Reúne 255 obras de Man Ray sob curadoria de Emmanuelle de l’Ecotais, especialista no trabalho do artista, responsável por seu Catálogo Raisonée, autora de livros sobre o artista e responsável por exposições importantes dele na Europa, como no Centre Pompidou/Grand Palais.

Autorretrato de Man Ray, cerca de 1930. Impressão em gelatina e prata de época, contato original reenquadrado, solarização Autorretrato de Man Ray, cerca de 1930. Impressão em gelatina e prata de época, contato original reenquadrado, solarização

Autorretrato de Man Ray, cerca de 1930. Impressão em gelatina e prata de época, contato original reenquadrado, solarização (Man Ray 2015 Trust/Divulgação)

A mostra é dividida em duas partes. A primeira parte foca em seus retratos, suas imagens feitas em seu ateliê e em ensaios para a grife de Paul Poiret. A segunda traz o trabalho com a manipulação de imagens em laboratório, trabalhando com solarização, superposições e “raiografias” (espécie de radiografia, em termo criado por ele próprio).

A mostra ainda conta com imagens que mostram sua vida parisiense e a amizade com artistas que foram seus contemporâneos, como Duchamp, Braque e Kiki de Montparnasse. Em uma parte interativa, os visitantes podem conhecer um laboratório fotográfico e entender as técnicas do artista.

Filmes surrealistas produzidos por Man Ray também estarão na exposição, como os curtas “Les Mystères du Château du Dé”, de 1929, e “L’Etoile de Mer”, de 1928. Um filme de 1998, de Jean-Paul Fargier, “Photographer Man Ray”, completa a filmografia da mostra.

Depois do CCBB SP, a mostra segue para a unidade de Belo Horizonte, entre 11 de dezembro e 17 de fevereiro de 2020.

Magnólia, fotografia de 1926. Impressão em gelatina e prata dos anos 1960 Magnólia, fotografia de 1926. Impressão em gelatina e prata dos anos 1960

Magnólia, fotografia de 1926. Impressão em gelatina e prata dos anos 1960 (Man Ray 2015 Trust/Divulgação)

Exposição Man Ray em Paris

21 de agosto a 28 de outubro

Todos os dias, das 9h às 21h, exceto às terças

Entrada Gratuita

Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo – CCBB SP

Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo -SP

Lee Miller, 1929, Impressão em gelatina e prata de época Lee Miller, 1929, Impressão em gelatina e prata de época

Lee Miller, 1929, Impressão em gelatina e prata de época (Man Ray 2015 Trust/Divulgação)