Livro analisa danças populares brasileiras

Marianna Monteiro, professora do curso de Arte-Teatro do Instituto de Artes da Unesp, investiga os processos formativos das danças populares brasileiras

São Paulo – O livro Dança popular: espetáculo e devoção, lançado ontem (08/03), faz uma reflexão sobre a importância das danças populares na sociedade brasileira.

A obra de Marianna Monteiro, professora do curso de Arte-Teatro do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista (Unesp), teve apoio da FAPESP na modalidade Auxílio à Pesquisa – Publicações.

A partir de diversos referenciais históricos, a autora investiga os processos formativos das danças populares brasileiras e propõe um novo olhar, tanto no que diz respeito às suas características, como em relação à oposição entre cultura erudita e popular.

A pesquisa de Monteiro procurou compreender o universo da dança sem ater-se ao protótipo europeu da dança teatral, que, segundo ela, se adapta mal às danças populares brasileiras. Ao voltar-se para a dança na América portuguesa, nos séculos 17 e 18, a autora revela que modelos europeus mais antigos estão na base das danças populares atuais.

No livro, as expressões cênicas populares deixam de ser vistas como resquícios de fenômenos primitivos ou arcaicos. Monteiro compila dados históricos e antropológicos sobre dois grandes conjuntos de manifestações populares: os congos e os bois-bumbás, interpretando-os no interior dos processos ideológicos que acompanharam a constituição e o fortalecimento do Estado moderno português.

Monteiro é pesquisadora do Núcleo de Antropologia da Performance e do Drama-Napedra e integrante da Associação Cultural Cachuera!, para a qual produz material documental em vídeo sobre dança popular. Em 1998, recebeu o prêmio APCA de melhor pesquisa em dança por Noverre: cartas sobre a dança, natureza e artifício no balé de ação, um estudo sobre a reforma da dança no século 18 na França, publicada posteriormente pela Edusp.