Lançamento de “Paraísos Artificiais” cria polêmica na França

A maioria das salas de cinema do país optou por tirar o longa da programação após sua estreia gratuita e antecipada na internet

Paris – A estreia gratuita e antecipada do filme “Paraísos artificiais” gerou polêmica na França, onde as salas de cinema optaram, em sua maioria, por tirar o longa brasileiro da programação.

“Paraísos artificiais”, lançado nesta quarta-feira na França, foi desprogramado por 12 das 15 salas de cinema onde deveria ser exibido, de acordo com a Damned, distribuidora francesa, que denuncia uma “retaliação” das grandes operadoras de cinema que não admitiram a exibição do filme na noite de quarta-feira no Dailymotion.

Apenas três salas em Paris, Grenoble e Clermont-Ferrand devem manter o filme.

“Para nós, é um desastre”, disse à AFP Yohann Cornu, diretor da Damned. “Nós quebramos a cronologia da mídia, então ela nos matou”.

A reação das operadoras destaca o confronto entre duas lógicas, atualmente no centro do debate sobre a cronologia dos meios de comunicação.

Essa cronologia organiza os espaços de tempo entre a estreia do filme no cinema, sua exibição na TV aberta e paga e a edição em DVD. A missão Lescure, encarregada pelo governo para enfrentar os desafios de uma cultura cada vez mais digital, deve se apoiar nisso. Suas propostas são esperadas para março de 2013.

“Nós realmente precisamos que as novas plataformas como as nossa, sejam vistas pela indústria cultural como um modo de retransmissão e distribuição, e não como um mundo novo e perigoso”, reagiu Giuseppe de Martino, secretário-geral do Dailymotion.

“Temos que nos entender, esta é a palavra de ordem. Vamos evoluir juntos e todas as plataformas possíveis devem ser testadas. Queremos estender a mão, mostrar que estamos aqui para ficar e que devemos começar a compreender como podemos trabalhar juntos”, explicou à AFP.


“Paraísos artificiais”, dirigido por Marcos Prado, desfruta na França do selo Eye on film (EOF), uma rede de 34 distribuidores e 42 festivais especializada na distribuição de obras de cineastas iniciantes e independentes. A Dailymotion tem parceria com a EOF para testar a promoção de filmes independentes na internet.

“O cinema independente autoral está em guerra para existir”, argumenta Loic Magneron, diretor da distribuidora Wide, que financia 50% da EOF.

Segundo a EOF e a distribuidora, o lançamento do filme no Dailymotion foi um sucesso, com 6.060 visitas que podem impulsionar a venda de ingressos nos cinemas, no boca a boca, sendo responsável pela promoção do filme, uma vez que ele foi visto na internet. Segundo eles, 400.000 pessoas assistiram o trailer.

Um segundo filme independente deve beneficiar do mesmo circuito. “Nuit#1”, da canadense Anne Emond, será transmitido na madrugada de 5 de novembro para 6, das 18h00 às O6h00 na Dailymotion.

Seu distribuidor, Marc Guidoni da Fondivina films, disse à AFP que “não houve nenhuma diferença” depois de notificar as salas de cinema que vão exibir o filme em 7 de novembro.

“Estamos em um mundo em transformação. Gostando ou não, é assim. Esta é realmente uma vontade de testar novas mecânicas de boca a boca, que não são as mesmas de 1970”, indicou.

Marc-Olivier Sebbag, CEO da Federação Nacional de Cinemas franceses, não compartilha a mesma opinião.

“A partir do momento em que este filme é exibido em outro lugar que não no cinema, a sala não é mais exclusiva. Tais iniciativas podem ser vistas como um enfraquecimento da posição das salas de cinema. Por isso, imagino a reação deles”.