Kim Kardashian se desamarrou e chamou segurança após assalto

O assalto aconteceu no domingo à noite, às 2h30, em uma discreta residência de luxo, no hotel de Pourtalès, em um elegante bairro da capital francesa

A estrela de americana Kim Kardashian conseguiu se desamarrar e chamar seu segurança por telefone, depois de ser atacada em seu hotel parisiense por homens armados que levaram joias no valor de nove milhões de euros – informou uma fonte próxima à investigação nesta terça (4).

Segundo as primeiras investigações, “Kim se desamarrou e ligou para seu segurança às 2h56 locais (21h56, horário de Brasília), e ele não estava no local no momento da agressão”.

O segurança Pascal Duvier, que acompanha a multimilionária americana na maioria de suas viagens, “acompanhou a irmã de Kim Kardashian a uma boate”, disseram fontes próximas ao caso.

O assalto aconteceu no domingo à noite, às 2h30, em uma discreta residência de luxo, no hotel de Pourtalès, perto da igreja de Madeleine, em um elegante bairro da capital francesa.

Os cinco homens estavam armados e vestidos de policiais. Depois de atacar o segurança, três deles permaneceram vigiando, e dois subiram ao apartamento da estrela, contou uma fonte próxima ao caso.

Apontaram uma arma contra sua cabeça e trancaram-na no banheiro, após tê-la amordaçado e amarrado com fita adesiva.

Além de Kardashian e do segurança, uma estilista da estrela da televisão também estava no imóvel. No início, os investigadores pensaram que havia sido ela que conseguiu dar o alerta.

Nenhuma imagem das câmeras de vídeo permite avançar na investigação, e a Polícia técnica e científica está buscando possíveis vestígios de DNA.

Após o ataque, Kim Kardashian, de 35 anos, que conta com 84 milhões de seguidores em sua conta do Instagram, disse estar “muito atordoada”. Foi interrogada pela Polícia na segunda-feira e depois voltou rapidamente para Nova York.

Segundo uma fonte judicial, os assaltantes levaram um anel com valor estimado em cerca de quatro milhões de euros e uma caixa com joias avaliadas em outros cinco milhões de euros.

Trata-se do maior roubo de joias a uma pessoa na França nos últimos 20 anos. Os ladrões também roubaram dois celulares.