Keith Richards, do Rolling Stones, completa 70 anos

Richards protagonizou grande parte dos escândalos dos Stones nos anos 60 e 70

Londres – Keith Richards, guitarrista, compositor e alma dos Rolling Stones, completa 70 anos nesta quarta-feira, após uma vida de excessos e desencontros com o também septuagenário Mick Jagger.

As profundas rugas no rosto de Richards se camuflam quando se apresenta no palco com o resto dos Rolling Stones, uma das bandas mais influentes do rock, que em 2013 realizou vários shows por conta do 50ª aniversário.

O guitarrista, autor junto com Jagger de temas clássicos como “(I Can”t Get No) Satisfaction” e “Sympathy for the Devil”, sobreviveu à dependência de drogas que o persegue desde sua juventude, apesar de em uma biografia ter afirmado que nunca teve “problemas com as drogas, só com a Polícia”.

Richards protagonizou grande parte dos escândalos dos Stones nos anos 60 e 70 e foi detido em diversas ocasiões por posse de maconha, cocaína e outras substâncias ilegais.

Seu pegada se deixa notar, entre outros, no álbum “Stickey Fingers”, que o grupo publicou em 1971 e está repleto de referências à heroína.

A saúde do guitarrista, um dos seis Rolling Stones originais -junto com Jagger, Brian Jones, Ian Stewart, Bill Wyman e Charlie Watts- obrigou a cancelar e modificar turnês da banda em diversas ocasiões.

Em 1990, a banda alegou uma infecção no dedo de Keith Richards para cancelar os dois últimos shows de uma turnê, que seriam realizados em Londres.

Sete anos mais tarde, a turnê do disco “Bridges to Babylon” foi alterada porque Richards quebrou uma costela, por isso que foram suspensas, entre outras, duas das atuações previstas na Espanha.

Um novo acidente com o guitarrista obrigou a mudar de novo os planos da banda em 2006, quando Keith Richards teve que ser operado urgentemente pelos ferimentos que sofridos na cabeça após cair de um coqueiro.


Sua relação com Jagger -que completou 70 anos em 26 de julho- foi muito conturbada desde o começo da banda, apesar da ruptura definitiva entre ambos que muitos previam desde os anos 80 nunca ter ocorrido.

Richards comparou em alguma ocasião sua união com o vocalista com um “casamento”, enquanto Jagger desprezou essa comparação e sugeriu que sua relação com seu companheiro é estritamente “laboral”.

Em março de 1986, aconteceu pela primeira vez o que parecia a ruptura definitiva dos Stones por um problema entre ambos.

Jagger, ocupado com problemas pessoais e com a gravação de seu primeiro disco sozinho, não se dedicou como Richards tinha desejado nas gravações do álbum “Dirty Work”.

Quando Jagger quis se reincorporar ao grupo após terminar seu disco, Keith Richards se negou e, pela primeira vez, a banda não realizou turnê após a publicação de um álbum.

O guitarrista preparou dois anos depois seu primeiro trabalho sozinho, “Talk is Cheap”, apesar de em 1989 as águas voltarem ao seu lugar e os Rolling Stones se jogarem de novo à estrada para apresentar “Steel Wheels”.

Em pleno auge da banda, Richards teve três filhos com Anita Pallemberg, sua companheira durante 15 anos.

Em 1969 nasceu seu filho Marlon e em 1972 foi a vez de Dandelion, que sofreu complicações porque sua mãe tomou drogas durante a gravidez.

Ambas foram cuidadas por sua avó, Doris, enquanto a terceira filha do músico, Tara, morreu poucas semanas depois de nascer, em 1976.

Após se separar de Pallemberg, Richards se casou com a modelo e atriz Patti Hansen, com quem tem duas filhas, Theodora Dupree (1985) e Alexandra Nicole (1986).