Horário de verão requer preparo, recomendam médicos

De acordo com Luciano Capelli, fisiologista do Centro de Medicina da Atividade Física da Unifesp, o corpo leva de uma a duas semanas para se adaptar à nova rotina

São Paulo – À zero hora deste domingo (21), começa o horário de verão nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e no Estado do Tocantins. Como ocorre todo ano, há aqueles que não gostam da ideia de perder uma hora de sono. A boa notícia, porém, é que os transtornos podem ser atenuados com pequenas mudanças na alimentação e no horário de ir dormir.

De acordo com Luciano Capelli, fisiologista do Centro de Medicina da Atividade Física da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o corpo leva de uma a duas semanas para se adaptar à nova rotina. “Algumas pessoas sofrem mais, outras menos. O ideal é tentar condicionar o corpo a dormir um pouco mais cedo”, explica Capelli.

Uma outra dica do médico que pode ajudar na adaptação do organismo ao novo horário é evitar o consumo de alimentos e bebidas que contenham substâncias estimulantes, como café, chás com cafeína (como o preto) e chocolate, entre outros.

“À noite, para ajudar a dormir, a pessoa pode tomar um copo de leite quente, que tem tripotano, um aminoácido que ajuda a relaxar a musculatura, ou chás sem cafeína (como camomila e erva cidreira)”, diz Capelli. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.