Grifes criam joias para homens

Conheça empresas especializadas e lançamentos que comprovam o sucesso dessa tendência

São Paulo – Se você ainda associa joias masculinas a nobres franceses da época do Napoleão, a membros do clero de séculos atrás ou aos hippies dos anos 1970, convém mudar de ideia. Sem muito alarde, anéis, braceletes e colares masculinos parecem ter entrado em um novo capítulo. Designers contemporâneos como o mineiro Gustavo Greco, em parceria com a grife Talento, estão fazendo joias de olho nas novas gerações.

Marcas conhecidas como Gucci, Tom Ford e Omega trilham o mesmo caminho. Essa última lançou uma coleção de pulseiras de borracha coloridas, com fecho de aço inoxidável, que custam R$ 1.100. Se séculos atrás as joias masculinas serviam principalmente para ostentar poder e posição social, hoje são consideradas excelentes aliados de quem busca imprimir mais estilo e identidade no visual.

Anel masculino da grife Talento Anel masculino da grife Talento

Anel masculino da grife Talento (Talento/Divulgação)

Com quase 30 anos de experiência no mercado de jóias femininas artesanais, a grife Talento, de Belo Horizonte, começou a mirar também os homens em agosto do ano passado. Assinada pelo designer mineiro Gustavo Greco, a coleção de número um voltada a eles foi batizada de “Cardeal”. É composta por dez peças, entre anéis, abotoaduras, colares e escapulários. Um anel de ouro branco 18 quilates, com acabamento fosco e 7 milímetros de largura, custa R$ 7.510. O escapulário de ouro amarelo 18 quilates polido e pedra malaquita sai por R$ 7 mil. Ao todo, foram confeccionadas apenas 50 peças, uma a uma.

Veja também

Criada em 2011 pelos modelos Angélica Mantuan e David Pimentel, a marca de jóias Skull, sediada em São Paulo, não demorou a cair nas graças de figuras influentes como o ator Bruno Gagliasso. Na definição dos fundadores, as peças “são criadas sob um processo rústico e de forma artesanal, além de serem atemporais e sem gênero”. Um dos novos anéis que mais agradam ao público masculino é feito de prata e coberto de pequenas pirâmides, pesa 27 gramas e custa R$ 890. Confeccionado com o mesmo material, o anel aberto com duas caveiras nas pontas sai por R$ 520.

Pulseira masculina da Omega custa R$ 1.110 Pulseira masculina da Omega custa R$ 1.110

Pulseira masculina da Omega custa R$ 1.110 (Omega/Divulgação)

A grife L.A.B, ou Liberty Art Brothers, que ocupa um imóvel em Pinheiros, surgiu em 2012. Foi criada pelo modelo Rafael Lazzini e seu irmão, Alexandre. As prateleiras da loja exibem correntes de pedrarias asiáticas, chapéus Fedora, carteiras de couro, lenços de seda importada e uma profusão de joias masculinas. Há desde pulseiras como a Elbrus Black (R$ 368), de couro e fecho de prata, até anéis requintados. O de prata com esmeralda sai por R$ 968.