Gérard Depardieu pode viver Strauss-Kahn em filme sobre escândalo sexual

Ator francês é o favorito para interpretar o ex-chefe do FMI em projeto do diretor Abel Ferrara

Nova York – O ator francês Gérard Depardieu pode interpretar Dominique Strauss-Kahn em um filme sobre o escândalo sexual do ex-dirigente do Fundo Monetário Internacional (FMI) dirigido por Abel Ferrara, informou nesta quarta-feira o jornal ‘Daily News’.

Se o projeto da produtora francesa Wild Bunch sair do papel, a atriz francesa Isabelle Adjani viverá Anne Sinclair, a mulher do político.

O nome de Depardieu aparecia há semanas como candidato a interpretar Strauss-Kahn, e a revista especializada ‘Deadline’ afirmou na segunda-feira que Vincent Maraval, executivo da Wild Bunch, garantiu que Ferrara está trabalhando no roteiro junto com Christ Zois, com quem já colaborou há três anos em ‘Chelsea on the Rocks’.

Maraval ressaltou que o projeto ainda está em seus primeiros passos e detalhou que ele mesmo propôs a ideia ao diretor de ‘Vício Frenético’ durante a filmagem neste ano do filme apocalíptico ‘4:44 Last Day on Earth’.

Segundo o produtor, Ferrara seria o diretor ideal por causa de seu interesse por temas de dependência, e ele e Zois incluirão na história elementos inspirados nas confusões sexuais de outros políticos como Bill Clinton e Silvio Berlusconi.

O francês frisou que o projeto está longe de ser concretizado e que ‘hoje em dia, a única realidade é que estamos trabalhando em algo inspirado por Strauss-Kahn que se centrará na dependência e nos políticos. É algo mais que o escândalo por si só’.

Dominique Strauss-Kahn, cujo caso já inspirou um episódio da série de televisão americana ‘Law & Order’, foi absolvido no último dia 23 de agosto do crime de agressão sexual pelo qual foi acusado por uma camareira de um hotel de Nova York.