Gelo pode esconder imperfeições nas bebidas. Entenda

Já provou drinques na temperatura ambiente? Saiba mais sobre o resgate desse hábito centenário

O gelo está longe de ser um mero coadjuvante na coquetelaria. É por isso que muitos bartenders não abrem mão de produzi-lo, para garantir cubos totalmente transparentes e com formatos maiores, que levam mais tempo para derreter. O que pouca gente se dá conta é que o gelo também pode ser usado para mascarar imperfeições.

“Se o drinque está muito gelado fica mais difícil perceber a qualidade dos ingredientes utilizados ou a competência do mixologista em combiná-los”, diz o paulistano Luis Marcelo Nascimento, sócio e bartender do H. Gin Bar, em Perdizes.

Os drinques servidos sem gelo, mais exatamente na temperatura ambiente, são ótimos para evidenciar nuances dos destilados e demais ingredientes e para atestar a competência dos criadores das receitas.

Historicamente, eles descendem de um estilo de coquetéis chamado de Scaffa. Popular no século 19, era composto por misturas de vinhos e destilados sem um mísero gelo sequer.

Luis Marcelo Nascimento, sócio e bartender do H. Gin Bar Luis Marcelo Nascimento, sócio e bartender do H. Gin Bar

Luis Marcelo Nascimento, sócio e bartender do H. Gin Bar (Alan Malta/Divulgação)

Um dos drinques mais conhecidos do tipo, o hotel room temperature, junta rum envelhecido, um bom vermute doce, bitters e licor Curaçao de laranja. O impropah scaffa leva conhaque diluído em água, licor de pera, Cardamaro, Luxardo Maraschino e Angostura.

Entusiasta desse tipo de coquetel, Nascimento é um dos bartenders que decidiram resgatá-lo. Na última carta do H. Gin Bar, ele incluiu seis variações equilibradas. “Fazem as vezes de aperitivo, para começar a noite”, diz o bartender.

O autumn glory mistura gin envelhecido em carvalho francês, vermute doce, Luxardo Maraschino, tintura de eucalipto e bitters. O companhia junta gin, vermute, Moscatel do Douro e absinto.

Outro que chama atenção é o purple down, feito com gin, licor de alcachofra, vermute doce, Luxardo Maraschino e geleia de figo. Já o douro combina vinho do Porto branco, Moscatel do Douro, gin e Luxardo Maraschino. Servidos em doses de 60 mililitros, todos custam R$ 21.

Onde provar: H. Gin Bar, R. Min. Gastão Mesquita, 586, Perdizes, São Paulo.