Garrafas de uísque do mesmo barril são vendidas por mais de US$ 1 milhão

Menos de 24 horas após a venda de um Macallan 60 anos por 848.800 libras, a Christie´s revelou um malte da mesma safra que pode quebrar a marca de um milhão

Mais um dia, mais uma garrafa de uísque de um milhão de dólares.

Menos de 24 horas após a venda de um Macallan 60 anos por 848.800 libras (US$ 1,1 milhão) em 4 de outubro na Bonhams, em Edimburgo, a casa de leilões rival Christie’s revelou um malte único da mesma safra que pode quebrar a marca de um milhão de libras em novembro.

Por outro lado, a Sotheby’s colocará sua própria garrafa daquele barril, preenchida em 1926, para arremate em Nova York, em 12 de outubro, com uma estimativa máxima de US$ 1,2 milhão. Quando chove, chove de verdade.

A destilaria Macallan, de 194 anos, que fica às margens do rio Spey, na Escócia, chama essa safra de “santo graal” dos uísques, engarrafada em 1986 após seis décadas em barril de carvalho. Foram feitas apenas em torno de 40 garrafas e por mais de uma década nenhuma delas apareceu em leilão. Mas quando duas foram vendidas por mais de US$ 1 milhão cada na Bonhams, o mercado acordou.

“Antes do leilão da primeira garrafa, ninguém sabia ao certo quanto valia”, disse Aaron Chan, um colecionador de Hong Kong que administra o Club Qing, um bar especializado em uísques. “De repente as pessoas pensaram: ’Oh, meu Deus, vale muito’, e os donos perceberam que era um bom momento para vender.”

A venda da Bonhams, em Edimburgo, estabeleceu um recorde mundial em libras, mas em dólares a mais cara se deu em Hong Kong, em maio, quando uma garrafa do Macallan de 1926, com um rótulo desenhado pelo pintor italiano Valerio Adami, foi vendida por 8.636.250 dólares de Hong Kong (US$ 1.101.300). O valor equivale a cerca de US$ 40.000 por dose.

Ganhos dos destilados

Os preços dos uísques dispararam nos últimos anos porque investidores e amantes da bebida estão procurando maltes únicos e raros da Escócia, como Dalmore e Port Ellen, e garrafas das destilarias japonesas Karuizawa e Yamazaki. Como investimento alternativo, o destilado de coloração âmbar teve uma valorização de 140 por cento nos últimos cinco anos, segundo o Vintage 50 Index, compilado pela Rare Whiskey 101, superando de longe o avanço de 19 por cento do Liv-ex 100 Benchmark Fine Wine Index.

O uísque tem a vantagem adicional do prazo de validade longo, ao passo que os melhores Bordeaux e Borgonha geralmente são de melhor consumo após algumas décadas de engarrafamento.

A safra de um vinho é determinada pelo ano em que as uvas foram colhidas e o engarrafamento geralmente ocorre dentro de 16 a 24 meses após a colheita. No caso do uísque, a idade se refere ao tempo armazenado no barril. Por isso o Macallan 1926 engarrafado em 1986 tem 60 anos. É bastante tempo de envelhecimento e, devido à perda causada pela evaporação, conhecida como “a parte dos anjos” (angel’s share), havia apenas uma pequena fração do uísque restante no barril para engarrafar.